vacas

Esta tem sido a pergunta de um milhão de dólares: como continuar a produzir bovinos sem atentar contra o meio ambiente? Para este problema, de difícil resolução, uma equipa de investigadores do norte da Austrália parece ter encontrado uma saída.

O controlo dos danos ambientais provocados pela produção de bovinos está na agenda das equipas de cientistas ligadas à indústria alimentar. Como as emissões de metano que se libertam através das fezes destes animais são o principal problema, constituindo a principal fonte de emissão de gases com efeito de estufa da indústria alimentar, as atenções têm-se voltado para a composição das rações que lhes são administradas.

Numa remota quinta do norte da Austrália, uma equipa de investigadores misturou nas rações de alguns animais algas marinhas que contêm substâncias que interferem com as bactérias responsáveis pela produção de metano no aparelho digestivo das vacas.

Se a experiência for bem sucedida, durante a digestão o metano será convertido noutra forma de energia que poderá ser reabsorvida pelos animais. Chamada Asparagopsis taxiformis espera-se que esta alga venha a revelar-se o ovo de Colombo da indústria alimentar.

Foto: Jelle / Creative Commons 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta