Mais de 750 mil objectos encontrados a boiar na costa portuguesa

lixo-oceanos

Mais de 750 mil objectos a boiar nas águas da costa portuguesa: este é o número assustador que uma equipa de biólogos da Universidade de Aveiro encontrou a flutuar no mar do nosso país.

Os investigadores centraram a pesquisa em pedaços de lixo com mais de dois centímetros e na Zona Económica Exclusiva (ZEE) portuguesa. Os dados agora conhecidos colocam Portugal na “lista negra” das águas mais poluídas. E para piorar o cenário o estudo centra as atenções no lixo que está a olho nu, o que apenas corresponde a uma pequena parte do que está debaixo de água.

Os dados foram recolhidos no Verão de 2011 durante a campanha oceânica a bordo da embarcação Santa Maria Manuela, no âmbito do projecto “LIFE+ MarPro”, coordenado pela Universidade de Aveiro.

Com um total de 754.740 objectos recolhidos e uma densidade média de detritos marinhos flutuantes de 2,98 itens por cada quilómetro quadrado, estes dados indicam que as águas nacionais estão lado a lado com os valores registados nas águas costeiras do Japão e na Península Antártica.

E quais os materiais mais encontrados? O plástico é o grande campeão, seguido de esferovite, restos de materiais de pesca, papel, cartão e pedaços de madeira.

A maior diversidade e abundância de lixo foi encontrada no norte da Zona Económica exclusiva, o que para a investigadora Sara Sá pode ser explicado pelo elevado número de corredores de navegação e embarcações de pesca a operar nessa zona, as quais podem representar importantes fontes de lixo flutuante nas águas oceânicas mais profundas.

Foto: via Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta


Patrocinadores

css.php