Nesta casa não se paga factura de electricidade

aqui a conta da luz não entra

Esta casa foi desenhada por um gabinete de arquitectos noruegueses em parceria com organizações ambientais. Desta colaboração resultou um projecto sustentável e de um arrojo estético indesmentível.

A busca de eficiência ambiental não prejudicou a estética e a comodidade deste projecto, candidato ao prémio de arquitectura, patrocinado pela União Europeia, Mies van der Rohe. Assinado pelo gabinete de arquitectos Snohetta e desenvolvido em colaboração com o centro de investigação de edificações com emissões zero (ZEB) da Noruega e o SINTEF, a maior organização de investigação independente da Escandinávia, esta vivenda foi construída em Larvik, zona que fica a sul do país.

Chamaram Multikomfort a esta residência familiar que produz três vezes mais energia do que consome. O seu telhado, ao contrário do que é habitual, é revestido por placas fotovoltaicas (o mais comum é as placas serem simplesmente sobrepostas) e tem uma inclinação que permite captar os raios solares durante mais tempo. A água quente obtém-se através de colectores solares. O equipamento da casa também permite o recurso à energia geotérmica, obtida através das águas que correm no subsolo. Todas esta valências combinadas permitem a produção de mais do que a energia necessária para uma família.

O conceito de sustentabilidade também é aplicado na gestão da água. A casa permite recolher água da chuva que depois é utilizada nos sanitários, na rega de plantas ou para lavagem, por exemplo, do carro. Estes são apenas alguns detalhes que fazem da Multikomfort uma referência ao nível das casas da nova geração.

Foto: Snohetta

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta


Patrocinadores

css.php