marmita

A crise económica veio mudar o comportamento alimentar dos portugueses e uma das tendências mais em voga dos últimos anos passou a ser a preparação de marmitas para o almoço. As copas e cozinhas das empresas passaram a estar cheias à hora de almoço, mas como em tudo o que está relacionado com a alimentação, há alguns cuidados essenciais que deve ter em conta na altura de preparar a sua marmita.

A marmita apresenta várias vantagens em face ao consumo de refeições em restaurantes, snack-bares ou pastelarias, não só numa redução do custo associado às refeições, mas também na optimização do tempo disponível para o almoço e selecção de alimentos e métodos culinários saudáveis.

Pegando em alguns conselhos da Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN) deixamos aqui algumas dicas de segurança alimentar, que terão enorme impacto na redução de possíveis riscos de contaminação dos alimentos.

Assim, quando estiver a preparar a sua marmita deverá especial atenção a:

1.Opte por alimentos de boa qualidade, respeite a sazonalidade e promova uma adequada higienização;

2.Os alimentos devem ser transportados em caixas hermeticamente fechadas;

3.As saladas cruas devem ser transportadas num recipiente à parte e temperadas no momento da refeição;

4.Alimentos muito perecíveis como carne picada, hambúrgueres, salgadinhos, empadas, quiches, carnes gordas, enchidos e molhos como maionese e outros molhos com ovo ou leite não são recomendados;

5.O período entre a confecção e preparação das refeições e o consumo deve ser curto;

6.O ideal é que a refeição do almoço seja guardada no frigorífico do local de trabalho; como nem sempre existe frigorífico, o melhor será transportar e acondicionar a refeição num saco térmico com placas de gelo; no local de trabalho acondicione a marmita em local fresco

7.Reaqueça os alimentos a uma temperatura superior a 65ºC.

Foto: via Creative Commons 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta