Tráfico de animais selvagens é a quarta actividade ilegal que mais dinheiro move no mundo

elefantes

O tráfico ilegal de animais é a quarta actividade ilegal mais lucrativo do mundo. Actualmente esta actividade move quantidades impressionantes de dinheiro, sendo apenas ultrapassada pelo tráfico de droga, de seres humanos e do comércio de armas.

As últimas estimativas não deixam margem para dúvidas. Só no caso dos elefantes, entre 20 a 30 mil elefantes são abatidos ilegalmente todos os anos e o comércio ilegal de marfim mais que duplicou desde 2007. Por ano esta actividade anual move mais de oito mil milhões de euros.

Mas o que torna esta actividade ilegal tão lucrativa? As causas são essencialmente a procura do mercado e a falta de conhecimento do comprador. É mais fácil traficar marfim e chifre de rinoceronte do que drogas. Neste momento o marfim já é mais valioso do que a platina. Também o baixo risco de detenção e os elevados montantes envolvidos são um chamativo para o crime organizado, que tantas vezes usam os lucros obtidos pela venda de animais selvagens para financiar grupos terroristas.

Como medida de combate a este tipo de crime a crescer a olhos vistos, a Comissão Europeia lançou um plano de acção que inclui a prevenção do tráfico, a redução da oferta e da procura de produtos ilegais da fauna e da flora selvagens, a aplicação das regras vigentes e o combate à criminalidade organizada por meio da cooperação entre os serviços de polícia competentes. O plano envolve um investimento na ordem dos 700 milhões de euros a serem aplicados até 2020.

Mas não são apenas os elefantes os alvos destes caçadores ilegais. Animais como pangolins, rinocerontes ou tigres estão constantemente na mira desta actividade. Dados do Parlamento Europeu permite observar a escalada galopante que este tráfico está a ganhar: em 2007 foram mortos ilegalmente 13 rinocerontes, enquanto em 2015 disparou para 1.175 animais abatidos. No início do século passado, o número de tigres ascendia aos cem mil exemplares, hoje em dia não ultrapassa os 3.500 animais.

Mas o caso mais grave é mesmo o dos pangolins, o mamífero mais trafico do mundo e a um pequeno passo da extinção.  Entre 2007 e 2013 mais de 107 mil pangolins foram confiscados depois de operações de fiscalização contra o tráfico.

Foto: via Creative Commons 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta


Patrocinadores

css.php