box-televisao

Quando desliga a box da televisão pressupõe-se que o aparelho deixe de gastar energia. No entanto, estes dispositivos – tal como a maior parte dos dispositivos electrónicos – continuam a gastar alguma energia, uma vez que continuam ligados à tomada.

E estes aparelhos são dos que gastam mais energia. Nos Estados Unidos, por exemplo, mais de 100 biliões de quilowatts por hora de energia são desperdiçados todos os anos, o que custa aos americanos mais de €7,9 mil milhões (R$ 25,5 mil milhões), refere o Grist.

A energia desperdiçada traduz-se em dinheiro desperdiçado na factura da electricidade. E, paralelamente, mais energia é consumida desnecessariamente, o que significa um maior consumo dos recursos e aumento da poluição.

As boxes televisivas utilizam mais energia do que outros dispositivos, porque, na verdade, nunca estão desligados. O problema do gasto de energia destes aparelhos televisivos agravou-se com a introdução da tecnologia do digital vídeo recorder (DVR), que permite ao utilizador gravar um programa em horário pré-definido e assistir posteriormente.

Segundo a ABC News, um aparelho DVR consome 40% mais de energia do que os dispositivos que não permitem a gravação. Porém, existem soluções para reduzir o desperdício de energia, embora o sector das telecomunicações não esteja muito disposto a fazer alterações aos aparelhos. Programar os dispositivos para se desligarem a meio do dia ou da noite, quando não estão a ser utilizados é uma maneira de poupar na factura da electricidade.

“Para reduzir o consumo de energia, as empresas podem fazer alterações de software sem custos acrescidos para implementarem o modo nocturno ou programar os discos rígidos para não girarem quando não estão a gravar pode reduzir o consumo de energia entre cinco a sete watts ”, indica o New York Times.

Foto: Onildo Lima / Creative Commons 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta