xixi-no-banho

Aproveitar o duche para aliviar a bexiga parece pouco higiénico, mas o certo é que a urina é composta por 95% de água e 5% de outras substâncias, como areia e sal e até tem propriedades antifúngicas. Mas o mais relevante é que “chichi” no duche é uma boa prática ambiental.

Em 2009 a Fundação SOS Mata Atlântica, de matriz ambiental e origem brasileira, lançou uma campanha que deu que falar, chamada “Xixi no Banho”. Destinada a encorajar as pessoas a mudar as suas rotinas de higiene, a campanha chamava a atenção para o enorme impacto ambiental que tem passar a aliviar a bexiga debaixo do chuveiro.

De acordo com a fundação brasileira, por cada descarga perdem-se até 12 litros de água potável, o que se traduz em 4380 litros de água potável por ano. Esta contabilidade sensibilizou muita gente, nomeadamente a super- modelo Gisele Bundchen que logo anunciou ter aderido à causa, tendo influenciado muitos pelo caminho.

Além de uma boa prática ambiental, fazer chichi no duche poupa dinheiro, porque reduz o consumo de água; poupa o tempo que se gastaria a usar a sanita e ao contrário do que parece à primeira vista é mais higiénico eliminar os vestígios de urina com água corrente do que com papel. Além disso, graças ao seu efeito antifúngico, a urina actua beneficamente sobre lesões provocadas por fungos.

Foto: Xixi no Banho 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta