Espaços abandonados que são arte

Portugal tem um grave problema de casas e edifícios abandonados, fechados e há décadas à espera de uma solução – seja ela a reconstrução, remodelação ou demolição. Na verdade, este é um problema global, solucionado, pelas diversas comunidades onde ele existe, de diferentes formas.

As fotos que publicamos abaixo, via Flavorwire, mostram algumas das formas mais inventivas de reutilizar um determinado espaço abandonado. Todas elas recorrem à arte para chamar a atenção para uma situação isolada ou colectiva.

São projectos de grande dimensão, que se ocupam de enormes espaços abandonados e dão-lhes a vida possível – pela arte ou denúncia pública. Veja a lista dos edifícios e as respectivas fotos, na nossa galeria.

1.Esta casa de bonecas foi desenvolvida por Heather Benning a partir de uma casa de quinta abandonada em Redvers, Saskatchewa, Estados Unidos. A casa foi abandonada em 1960.

2.A Ice House Detroit foi criada em protesto contra as difíceis condições urbanas da cidade, que apresentou recentemente a falência. O fotógrafo Gregory Holm e o arquitecto Matthew Radune escolheram uma das 20 mil casas abandonada da cidade para esta obra.

3.Esta bomba de gasolina de pano poderia ter sido criada por Joana Vasconcelos. Mas não foi. A obra, desenvolvida numa bomba de gasolina do centro de Nova Iorque, faz parte do projecto WRAP.

4.Em 2006, um grupo anónimo de artistas pintou vários edifícios abandonados de Detroit de cor-de-laranja, um protesto contra a decadência da cidade.

5.O artista holandês Marjan Teeuwen pega em casas abandonadas e reorganiza o seu interior de forma obsessiva. É arte, isto.

6.A artista Candy Chang pegou numa casa abandonada em Nova Orleães, colocou um quadro gigante e começou a frase: “Antes de morrer, quero…”. Quem passava podia completar e partilhar os seus sonhos. O projecto acabou por se expandir para várias comunidades de todo o mundo.

7.Luisa Alvarez utilizou o seu passado como designer para ilustrar uma casa abandonada com negativos e luzes LED, embrulhados em objectos como cadeiras, instalados em escadas e maçanetas de portas. O projecto é temporário e chama-se Habitando.

8. O projecto Kulturpark transformou um parque de diversões de Berlim leste num centro ecológico. A iniciativa colaborativa dá um novo visual e criatividade a uma zona da cidade abandonada desde 2001.

9.O edifício Reichstag, um fantasma da Segunda Guerra Mundial, era uma ruína até aos anos 90. Antes de ser reconstruído, depois da reunificação alemã, o artista Christo embrulhou-o. A foto é antiga, por isso.

10.Esta casa invertida foi aproveitada por Dan Havel e Dean Ruck para fins artísticos.

11.Richard Wilson recortou uma parte de um edifício abandonado em Liverpool e fê-la rodar sobre si. Para espanto de quem passa.

12.Em 2001, o colectivo hacker Chaos Computer Club pegou na Haus des Lehrers (Berlim), então abandonada, e colocou 144 luzes controladas por computador. As animações podiam ser controladas pelos próprios peões, via telemóvel.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta