Profissões extintas

Muitos dos empregos que existem actualmente não existiam há 10, 20 ou 30 anos – especialistas em marketing digital, gestores de redes sociais, programadores de plataformas móveis. Apesar de estas novas profissões terem surgido, o mercado de trabalho não está propriamente favorável, e apesar das elevadas taxas de desemprego, pode ser complicado encontrar um canalizador, um electricista, um serralheiro e outras profissões semelhantes.

Tal como estas profissões podem estar ameaçadas, existem outras que já desapareceram completamente e o seu desaparecimento foi causado maioritariamente pelos avanços tecnológicos. Muitos destes empregos eram perigosos e eram frequentemente executados por crianças, indica o Bored Panda. Conheça aqui algumas profissões que foram desaparecendo com o passar do tempo e os avanços tecnológicos.

1.Alinhador de pinos

Antes de o bowling possuir sistemas automáticos de recolha e alinhamento dos pinos, este trabalho era executado por um alinhador de pinos – muitas vezes eram crianças -, que apanhavam e reposicionavam os objectos para que o jogo pudesse continuar.

2.Despertador humano

Há um século ter um relógio ou despertador a corda podia ser considerado um pequeno luxo e muitas famílias não tinham oportunidade de adquirir um. Para executar esta tarefa existiam os despertadores humanos – pessoas que despertavam outras pessoas. Estes despertadores eram contratados para assegurar que as pessoas se levantavam a tempo para os empregos ou outras tarefas. Os despertadores humanos utilizavam varas para bater às portas ou janelas dos clientes até se assegurarem que estes estavam despertos. Em alternativa, podiam ser utilizados pequenos assobios, que eram assobiados por baixo das janelas dos clientes.

3.Cortador de gelo

Antes de existirem os frigoríficos e as arcas congeladoras, o gelo necessário às actividades quotidianas era fornecido pelos cortadores de gelo que o recolhiam em lagos congelados. Era uma profissão perigosa e muitas vezes executada sob condições extremas.

4.Detector de tropas inimigas

Antes de existirem os radares, os exércitos utilizavam espelhos acústicos e aparelhos semelhantes para detectar os movimentos do inimigo e a aproximação de aviões. Estes aparelhos eram escutados por uma pessoa, que tinha como função servir de radar humano.

5.Caçador de ratos

Os caçadores de ratos, como o nome indica, eram contratados para caçar ratos, ratazanas e outros roedores, controlando assim as populações destes animais. Existia um elevado risco de estes profissionais serem mordidos e desenvolverem infecções. Porém, o seu trabalho era importante, já que impediram que várias pragas se propagassem pela população.

6.Acendedores e apagadores de lâmpadas

Antes de iluminação eléctrica ser introduzida, as velas ou os candeeiros a gás ou óleo tinham de ser acessos, apagados e recarregados. Este trabalho era executado pelos acendedores, que com varas e escadotes executavam a tarefa.

7.Condutor de madeira

Antes de os meios e tecnologia de transporte serem desenvolvidos, a madeira necessária à construção das infra-estruturas era transportada através dos rios, desde o local de abate ao local da utilização. Os condutores de madeira guiavam assim os troncos das árvores pelos rios.

8.Telefonista

Antes de o uso do telefone, e posteriormente do telemóvel, se banalizar, as telefonistas eram partes imprescindíveis da rede de telecomunicações. Estas profissionais – já que o trabalho foi maioritariamente executado por mulheres – ligavam chamadas de longa distância e executavam outras tarefas que são agora feitas de forma digital.

9.Ressurreccionista

Um ressurreccionista ou “ladrões de cadáveres”, como também eram conhecidos, eram pessoas que foram contratadas durante o século XIX para remover cadáveres das sepulturas e entrega-los às universidades, que utilizavam os cadáveres para estudo. Na altura era bastante difícil obter cadáveres de forma legal e as universidades recorriam a estes profissionais para arranjarem cadáveres que eram utilizados nas aulas.

10.Recitador

Um recitador era alguém que simplesmente lia ou recitava para outros trabalhadores. Normalmente eram contratados e pagos pelos trabalhadores para lerem enquanto os operários executavam as suas tarefas. Habitualmente liam os jornais, romances ou propaganda dos sindicatos.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta