WC portátil e ecológico

A vila flutuante de Prek Toal, no Camboja, está a colocar o poder natural de filtro das plantas das zonas húmidas ao serviço da população, retirando os contaminantes presentes nos seus esgotos. Desde sempre que as vilas flutuantes no lago Tonle Sap enviam os dejectos humanos directamente para a água, mas a bactéria tem causado várias doenças na população e nos animais que fazem de Tonle Sap o seu habitat – entre elas a cólera, diarreia ou simples náuseas.

Prek Toal é uma das 200 vilas flutuantes do lago, que é casa para mais de 100.000 pessoas. A pequena vila encontra-se totalmente depende do lago: as suas escolas, casas, mercearias e até a esquadra de polícia são flutuantes.

Até agora, a maioria da população utilizava o lago como casa de banho, mas o cenário está a mudar. Estão a ser construídas casas de banho flutuantes que irão manter o local saudável com a ajuda das plantas nativas, que irão filtrar os resíduos antes de os fazer regressar ao lago.

Desenvolvida pela Wetlands Work, a casa de banho envia todos os resíduos humanos para uma espécie de casulo que contém plantas como hiacintos, que têm os microrganismos necessários para embeber os resíduos das toxinas na água. Estes micróbios poderosos podem limpar a água até 99,999999%, retirando bactérias como a E. Coli sem utilizar químicos.

As Handy Pods – assim se chamam as casas de banho – podem também ser feitas a partir de materiais locais, sem custos ou impacto ambiental. Financiado pelo Grand Challenges Canada, o projecto da Wetlands Work está a ser trabalhado em parceria com o WaterAid Cambodia.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta