Zimbabué vendeu 35 elefantes à China

elefante

A informação já estava a ser difundida há alguns dias por associações de defesa de animais, mas a confirmação foi agora conhecida: a agência do Zimbabué para a vida selvagem vendeu 35 elefantes à China. Como justificação o país alega que quer aliviar a superpopulação e arranjar fundos para a conservação da vida selvagem do país.

Com uma economia em ruínas, o governo do Zimbabué não divulgou qual o montante recebido pela venda dos 35 elefantes, dizendo apenas que tinha recorrido a “países amigos” para tornar rentável a vida selvagem do país.

Outra das questões que ainda está por esclarecer é a idade dos elefantes vendidos às entidades chinesas. Alguns grupos de defesa de animais têm mostrado preocupação pela incógnita na idade destes animais. “Porque é que é feito clandestinamente e depois anunciado duas semanas mais tarde? Porque sabemos que às vezes tiram crias às mães, em condições atrozes, não se sabendo depois como é que esse dinheiro é realmente utilizado”, acusa Johnny Rodrigues, da organização Conservation Taskforce do Zimbabuém, muito crítica com esta venda.

Alegando que no decorrer desta venda foram respeitados todos os procedimentos da legislação internacional, a Autoridade para a Gestão dos Parques e Vida Selvagem do Zimbabué informou que os 35 animais capturados no Parque Nacional de Hwange, foram enviados para parques em Shanghai, Pequim e Hangzhou. As autoridades adiantaram ainda que, em ocasiões anteriores, tinham já vendido animais para a Europa e Estados Unidos.

Foto: Juan de Vallejo / Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta


Patrocinadores

css.php