Plásticos biodegradáveis podem não ser tão ecológicos quanto se julga

garrafas

Os produtos plásticos rotulados de “biodegradáveis” podem demorar tanto tempo a decompor-se como os ditos plásticos convencionais. Segundo um estudo, publicado na revista científica Environmental Science & Technology estes plásticos ditos biodegradáveis não se decompõem a um ritmo mais acelerado que os normais.

O estudo foi liderado por Susan Selke e Rafael Auras da School of Packaging da Universidade Estatal de Michigan, nos Estados Unidos. Durante o estudo, os investigadores simularam a degradação de plásticos em aterros convencionais, monitorizando a decomposição dos materiais ao longo de três anos.

Os plásticos foram cobertos com solo e composto para replicar as condições ideais de um aterro. Quando os plásticos foram desenterrados, a equipa verificou que os alegados plásticos biodegradáveis não mostravam quaisquer sinais de decomposição, tal como plásticos convencionais.

“O objectivo último da biodegradação é decompor totalmente a estrutura molecular dos polímeros, devolvendo o carbono presente no plástico ao ciclo geológico normal do carbono”, explica Susan Selke. “Mas não encontrámos provas significantes de biodegradação dos materiais do plástico”, sublinha a investigadora.

Perante tais resultados a única solução viável para acabar com o problema dos plásticos em aterros e ambientes naturais, como os ecossistemas marinhos, é aumentar as taxas de reutilização e reciclagem do material.

Foto: via Creative Commons 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta


Patrocinadores

css.php