projectos que não sairam do papel

Os arquitectos estão entre os melhores criativos do mundo. Sem novas ideias e estruturas a sociedade não consegue progredir e evoluir. E os arquitectos fazem parte do grupo de pessoas que permitem expandir os limites e testar novos conceitos. Às vezes funcionam, outras não.

Muitas vezes, os novos projectos arquitectónicos são abandonados devido a constrangimentos monetários ou porque a sociedade à qual estão destinados não são tão progressivos quanto os arquitectos que conceberam os projectos. Tal significa que uma grande quantidade de ideias inovadoras para edifícios e cidades acabam por nunca sair do papel e caem em esquecimento. Conheça aqui cinco destes projectos que ficaram na gaveta.

1- Motopia

Durante os anos 1960 e 1970, o Reino Unido foi impulsionado pela nova capacidade de produção de grandes placas de vidro da empresa Pilkington. A empresa chegou a formar inclusive um grupo de trabalho, chamado Comité de Desenvolvimento da Idade do Vidro, para promover o uso do vidro como material de construção. Um dos aclamados projectos do grupo foi a Motopia, uma cidade fortemente dependente de carros, idealizada por Geoffrey Alan Jellicoe. Todas as estradas circulariam por cima de grandes edifícios de vidro, deixando o solo livre para que as pessoas pudessem gozar os parques, caminhar e aproveitar o espaço. Tudo o que resta do projecto são esboços.

2- Cúpula Gigante do Aeroporto de Los Angeles

O Aeroporto Internacional de Los Angeles tem uma arquitectura única, distinta pelo Theme Building, um edifício de aspecto futurista idealizado e concretizado pela firma de arquitectos de William Pereira e Charles Luckman. Mas os projectos originais de 1952 destes dois arquitectos para o aeroporto eram ainda mais progressistas. Era objectivo da dupla de arquitectos incrustar o aeroporto dentro de uma cúpula gigante de vidro, com várias palmeiras que chegariam ao tecto do edifício central circular, a partir do qual se desmembrariam os terminais.

3- Hotel Atraccion de Nova Iorque

Edward Carlton era um gestor hoteleiro fã da arquitectura única de Antoni Gaudi. Em 1908, quando Carlton decidiu construir um novo hotel para os super-ricos na baixa de Manhattan viajou até Espanha para conhecer Gaudi e lhe encomendar um novo hotel. O Hotel Atraccion ter-se-ia elevado a 304 metros, não tivesse Gaudi abandonado o projecto um ano depois da encomenda.

4- A Cúpula de Manhattan

Ainda hoje o fascínio de viver num local protegido por uma espécie de bolha protectora é grande – e nos anos 1960 era ainda maior. Foi nessa década que Buckminster Fuller e Shoji Sadao, dois arquitectos, sugeriram enclausurar Manhattan numa cúpula de 3,3 quilómetros de diâmetro feita de vidro inquebrável unidireccional. Actualmente, a ideia pode parecer demasiado bizarra para ser considerada, mas em 1960 o potencial era grande.

5- O Pássaro Verde de Londres

Os londrinos escaparam por pouco a um erro que faria corar até os arquitectos mais progressistas quando o projecto para a construção da torre “Pássaro Verde” foi atirado para dentro e uma gaveta em 1990. O atelier de arquitectura Architects Future Systems sugeriu a construção de uma torre de 83 andares de 442 metros em Battersea. O edifício curvar-se-ia sobre a cidade. O único problema era a forma do edifício, que iria sempre cair no ridículo.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta