Estação abandonada de Canfranc

Foi uma das maiores e mais glamorosas estações de comboio do mundo, uma jóia da elegância da Art Nouveau escondida entre os Pirenéus. Durante a Segunda Guerra Mundial, ela foi ocupada pelos nazis. Desde então, a Estação Internacional de Canfranc entrou em decadência e hoje são poucos os traços que fazem lembrar o glamour de outrora.

Porém, debaixo das ruínas ainda existe vida: os velhos túneis que atravessam a fronteira entre Espanha e França albergam agora um moderno laboratório onde os cientistas tentam desvendar os mistérios da “matéria negra”.

Situada no lado espanhol da fronteira, Canfranc foi inaugurada com pompa e circunstância em 1928 e era a jóia da linha principal que ligava França a Espanha. Durante anos, os passageiros puderam admirar a fantástica arquitectura e os que possuíam recursos suficientes ficavam alojados no luxuoso hotel adjacente.

Durante a guerra civil de Espanha, a estação esteve encerrada, tendo sido posteriormente reaberta. Mais tarde, durante a Segunda Guerra Mundial, Canfranc foi um local de passagem quase obrigatório para os judeus que fugiam da Europa ocupada por Hitler.

Em 1940, Franco deu a conhecer a estação a Hitler. A imponência do edifício terá impressionado Hitler e, depois de reconhecer a importância logística e estratégica da estação, os nazis apoderaram-se do controlo de Canfranc. Inicialmente, os nazis utilizaram a estação para transportar centenas de toneladas de ouro saqueado pela Europa. No final da guerra, o local ajudou vários oficiais nazis a fugirem da Europa, evitando a captura.

Depois da Segunda Guerra Mundial, Canfranc regressou à actividade normal e operou durante os anos 1950 e 1960. Em 1965, foi utilizada como cenário para o filme Doctor Zhivago, de David Lean. Durante a década de 1960, uma grande locomotiva a vapor saltou dos carris e descarrilou. Apesar de ninguém ter morrido no acidente, o descarrilamento ditou o início do fim de Canfranc.

Abandonada e, aparentemente, esquecida tornou-se um alvo para o vandalismo, visitada ocasionalmente pelos turistas mais curiosos.

Em 1985, os físicos espanhóis consideraram que Canfrac poderia ser a localização perfeita para um laboratório de astrofísica. Actualmente, o laboratório, que fica localizado nos antigos túneis subterrâneos da estação, investiga a existência da “matéria negra”. No entanto, os edifícios superficiais de Canfranc continuam abandonados.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta