Uma sinagoga verde

Uma das mais curiosas tendências ligadas à sustentabilidade é a reutilização. Quando esta se liga à construção sustentável, os espaços acabam reestruturados, reconstruídos e ganham um novo significado e proprietários.

Normalmente, são edifícios com história, religiosa ou militar, que são transformados em habitação ou espaços comerciais. No bairro do SoHo, Nova Iorque, a situação foi a inversa: uma antiga loja da Gucci foi reformulada e é agora uma sinagoga.

Desenhada pelo arquitecto e designer Dror Benshetrit, conhecido pelos seus trabalhos sustentáveis, a sinagoga localiza-se no Crosby Street e funciona como uma inspiração espiritual para uma nova geração de judeus.

Os fundadores da sinagoga, Dovi e Esty Scheiner, quiseram criar um espaço que misturasse as tradições judias com uma estética moderna. O resultado é uma bela sinagoga, que responde de forma muito interessante aos serviços tradicionais mas também eventos especiais da comunidade judia do bairro, conhecida pela sua mente aberta a inovações.

O espaço conta com vários elementos ligados ao design verde, que reflectem os costumes dos judeus e suas tradições mas, ao mesmo tempo, são ícones de um cultura moderna e urbana.

Equipada com LED e mantendo traços históricos, o interior da sinagoga tem um ar cru e quase industrial, com os seus tijolos que revelam um fresco do menorá. Ao reutilizar os elementos arquitecturais, Dror presta uma homenagem à história dos edifícios e disponibiliza elementos do design original.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta