Peixes de aquário que se tornam monstros

Os rios da Austrália Ocidental estão a ser danificados por cidadãos que deitam os seus peixes de aquário pela sanita, criando uma situação disruptiva para a biodiversidade do local e dando origem a verdadeiros monstros marinhos, alerta o Centre for Fish and Fisheries Research da Universidade de Murdoch.

Segundo os investigadores, estes peixes são, habitualmente, maiores que os do rio e competem pelos mesmos alimentos e habitat. Assim, eles acabam por comer os peixes já existentes, e mais fracos, e aumentam o peso e tamanho de forma disforme.

Segundo David Morgan, responsável pela investigação, há peixes-dourados a crescer de 100 gramas para dois quilos e já foram vistas carpas koi com oito quilos.

“Muitos destes peixes são muito maiores que os peixes nativos, por isso comem-nos e competem pelo habitat. Os nossos peixes nativos têm menos de 10 centímetros”, explicou Morgan.

Para além de criarem monstros marinhos que põe em causa a sobrevivência de várias espécies, as espécies introduzidas podem trazer parasitas exóticos e doenças. “Em Perth reparámos em vários parasitas – um deles é bastante prejudicial a peixes nativos e foi provavelmente introduzido pelo peixinho-dourado”, continuou.

A investigação de David Morgan e Stephen Beatty descobriu que pelo menos 13 espécies foram introduzidas no sudoeste australiano. Todas elas terão sido enviadas pela sanita abaixo. “Muitas pessoas desconhecem [o impacto destas acções] e não têm consciência dos danos de enviar um peixes de aquário para o ecossistema”, concluiu Morgan.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta