O otorrinolaringologista da vida selvagem

Um jovem veado nem hesitou quando um corvo se sentou nas suas costas e apontou ao seu ouvido. Ela deixou-o trabalhar e, durante mais de cinco minutos, o corvo comeu qualquer parasita ou carrapato que por lá andasse.

A cena foi fotografada num parque de Londres por Kimberley Plumridge, uma fotógrafa amadora: “Estava a apenas dois metros e meio e a jovem veado sabia disso, mas não se importou. Notava-se que estava suficientemente feliz para ter público à sua volta”, explicou Kimberley.

De acordo com a britânica, o corvo fixou-se no seu ouvido e, por várias vezes, utilizou o seu bico para comer os bichinhos que a importunavam. “O corvo comeu uma grande refeição e fê-lo durante cinco ou seis minutos, com o veado completamente parado, como se fosse a coisa mais natural do mundo”.

Kimberley afirma que o veado teria menos de um ano e, estando acompanhado dos seus pais, mas tinha a confiança suficiente para se submeter à perícia otorrinolaringologista do corvo. “Havia ali uma espécie de acordo não-verbal. Ela sabia que o pássaro lhe estava a fazer um favor, por isso deixou-o continuar. Foi um grande exemplo da relação simbiótica e por vezes pouco comuns da natureza”, concluiu.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta