wishbone_SAPO

Todos os anos, de acordo com a Carpet America Recovery Effort (Care), cinco mil milhões de toneladas de tapetes acabam nas lixeiras de todo o mundo – quase uma tonelada por cada habitante do planeta. Isto porque reciclar um tapete é complexo, devido à combinação de materiais diferentes.

Os neozelandeses Jenny e Rich McIver estão no entanto a tentar mudar esta situação. O casal, que acabou de regressar a casa depois de vários anos passados em Nova Iorque, nos Estados Unidos, são proprietários da Wishbone Design, uma empresa de design que está a desenvolver uma tecnologia que lhes permite transformar tapetes em formas rígidas tubulares e, mais tarde, em bicicletas para crianças. Segundo o The Guardian, a bicicleta pode ser aumentada à medida que a criança cresce.

“As fibras de nylon do tapete são rapadas da sua parte de trás. Depois, estas fibras e o polipropileno são reciclados separadamente através de um processo que desfia, limpa e aquece a matéria-prima em forma líquida. Mais tarde acrescentamos fibra de vidro para lhe dar força e rigidez”, explicou Jenny McIver ao jornal britânico.

O resultado é uma palete de resina que pode ser moldada em formas orgânicas resistentes. “Mas não vamos parar por aqui. Esta é a primeira bicicleta alguma vez feita através de moldagem por injecção assistida por gás, que nos permite criar formas tubulares complexas e de uma só peça, que conseguem ser fortes e rígidas”, continua McIver.

A tecnologia foi aperfeiçoada durante três anos, e esta inovadora bicicleta pode ser utilizada por crianças dos 12 meses aos seis anos.

Nos Estados Unidos, a reciclagem de tapetes está a começar a arrancar. De acordo com a Care, 30% dos tapetes usados já regressam ao mercado como novos tapetes, fibras, forros ou almofadas. Em 2012, 1,6 milhões de toneladas de tapetes foram recicladas, só nos Estados Unidos.

“Estamos a desenhar uma bicicleta maior” – explicou Jenny McIver. “O ciclismo é uma escolha de vida saudável para o futuro e é uma verdadeira alegria criar designs inovadores para uma comunidade apaixonada e em crescimento”.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta