Hong Kong, a cidade dos vizinhos

Já se sabe que Hong Kong é uma das mais regiões mundiais com maior densidade populacional – só perde para Singapura, em termos globais –, pelo que a sua paisagem encontra-se rodeada por blocos gigantescos de edifícios residenciais, quase hipnóticos e onde vivem dezenas de milhares de pessoas.

Com sete milhões de cidadãos em toda a sua extensão, Hong Kong consegue colocar mais dois milhões de habitantes em blocos iguais, nos quais só muda a cor exterior – cada um acomoda cerca de 15.000 pessoas, mas existem blocos onde vivem 36.000 pessoas.

Uma destas mini-cidades é Shek Kip Mei Estate, um mais antigo bairro de habitação pública e que começou a ser construído em 1953, tendo hoje 26 blocos.

De passagem pela China, o fotógrafo Jason Langley deixou-se levar pela imponência do local e captou-o na sua forma mais rude. “Estes blocos de apartamentos acabaram por definir a paisagem moderna da cidade. Os apartamentos têm vários estilos arquitectónicos e um único objectivo: acomodar o maior número de pessoas num espaço urbano relativamente pequeno”, explica.

Alguns dos blocos têm postos médicos, escolas, correios e estações de metro. “Cada um destes bairros funciona como uma pequena cidade dentro da cidade, com várias lojas, restaurantes, centros de fitness, centros médicos e escolas”.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta