QREN aprova projecto de €400 mil (R$995 mil) para valorização da Pêra Passa

A BLC3, plataforma para o desenvolvimento da Região interior Centro, viu aprovada pelo QREN a candidatura aos fundos comunitários do seu projecto para a valorização da Pêra Passa, no âmbito do Compete, o programa operacional de factores de competitividade.

Segundo explica a BLC3 em comunicado, o projecto – que pressupõe um investimento total de €700 mil (R$1,7 milhões) – receberá €400 mil (R$995 mil) dos fundos comunitários.

O projecto contempla a criação de uma unidade piloto que descasca, desidrata, espalma e embala a Pêra de S. Bartolomeu – também conhecida por Pêra Passa –, bem como outras frutas, automatizando todo o circuito que vai desde a produção até à entrada na cadeia comercial.

Os testes feitos na unidade piloto permitirão, mais tarde, a industrialização desta “grande riqueza regional” e a sua recuperação para o mercado nacional e internacional, de acordo com a BLC3.

“Numa altura em que o mundo revela uma grande apetência pelos frutos secos, que são altamente valorizados, o objectivo da candidatura da BLC 3 consiste em inovar, com um novo modus operandi, e valorizar uma das maiores riquezas regionais da região – a Pêra Passa – que quase desapareceu por falta de investimento tecnológico”, pode ler-se no comunicado da plataforma para o desenvolvimento do Interior Centro.

Segundo um estudo publicado pela então Direcção-Geral dos Serviços Agrícolas, em 1930, só no concelho de Oliveira do Hospital – o principal solar da Pêra Passa – produziam-se 90 toneladas daquele fruto. Hoje, num processo que continua a recorrer a métodos ancestrais, produzem-se cerca de meia dúzia de toneladas.

A principal zona de produção dos frutos da Pereira de S. Bartolomeu situa-se nos concelhos de Oliveira do Hospital, Tábua, Seia e algumas freguesias dos concelhos de Viseu, Nelas, Gouveia, Mangualde e Santa Comba Dão.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php