Empresas lideradas por empreendedores aumentaram em 16% a força de trabalho em 2011

Empresas lideradas por empreendedores aumentaram em 16% a força de trabalho em 2011

As empresas lideradas por empreendedores aumentaram em 16% a sua força de trabalho em 2011, de acordo com um estudo da Ernst & Young que envolveu 400 empreendedores de todo o mundo. O estudo indica que mais de dois terços destes empreendedores quer continuar a recrutar em 2012, e que 81% destes postos de trabalho criados são ocupados por pessoas com muita experiência profissional.

Praticamente todos os empreendedores ouvidos referiram ter aumentado o número de colaboradores no ano passado. Na América, esse crescimento foi de 18%, na Ásia-Pacífico e Europa o crescimento foi de 16% e 12% respectivamente.

“Quando o desemprego alcança altos índices, particularmente entre os jovens, há uma necessidade latente de crescer economicamente. Neste momento, os empreendedores são ainda mais importantes e as empresas que lideram e os trabalhos por si criados são ainda mais críticos”, explicou Jim Turley, chairman e CEO da Ernst & Young.

Leia o relatório da Ernst & Young na íntegra.

Quando questionados acerca do tipo de empregos que criaram (administrativos, com ou sem formação universitária, experiência), 81% dos entrevistados disseram que criaram emprego para “pessoas experientes”, enquanto 35% disse ter recrutado com “alguma experiência” e 29% recrutado pessoas sem experiência.

Esta tendência foi mais evidente nos Estados Unidos, com 92% dos entrevistados a confirmarem terem contratado “com alguma experiência”, seguido da Austrália, 81%, Canadá, 80%, Reino Unido, 78%, e Irlanda, 76%.

Sessenta e oito por cento dos empreendedores prevêem aumentar a sua força de trabalho no país onde a empresa tem a sua sede em 2012. Quando questionados acerca de mais detalhes sobre as suas estratégias de recrutamento, os empreendedores confirmam que “o crescimento dos produtos e serviços nos seus mercados” foi a principal razão para a expansão efectiva, seguido dos avanços tecnológicos e da inovação.

Quarenta e quarto por cento também esperam aumentar a sua força de trabalho fora do país sede. Quando questionados acerca de eventuais países onde antecipam a criação de mais emprego, Estados Unidos, China, Reino Unido e Índia foram os destinos mais populares.

Quando inquiridos porque estavam a recrutar fora do seu mercado de origem em 2012, 74% dos empreendedores confirmou que tinha como objectivo ajudar a entrar em novos mercados. Apenas 14% dos inquiridos referiu estar a recrutar internacionalmente para “tirar vantagem de custos laborais mais baixos”, e apenas 8% disse querer beneficiar dos incentivos governamentais nesses países.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php