Responsabilidade ambiental: os números de 2011 da Caixa Geral de Depósitos

Em Setembro, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) lançou o seu relatório de sustentabilidade relativo a 2011. Na altura, como pode recordar, elogiámos o grafismo simples e inovador, a multiplicidade de informações e dados apresentados, quer ligados à sustentabilidade ambiental mas também à social e económica.

Hoje vamos perceber melhor quais os números da CGD em relação à responsabilidade ambiental, em 2011.

Desde logo, há um que salta à vista: o consumo total de electricidade, que caiu 10% em relação a 2010. Ainda assim, o total de emissões associado à actividade da CGD aumentou 3% em 2011, para as 36.798t de CO2.

“Apesar de uma redução significativa no consumo, o conteúdo carbónico da electricidade adquirida aumentou em 2011, em resultado das condições hidrológicas menos favoráveis que se registaram, o que provocou um aumento de 7% nas emissões correspondentes”, explica a CGD.

Este é, de resto, o dado menos positivo do estudo. Em 2011 registou-se também uma redução de 15% nas emissões associadas à mobilidade induzida – frota própria – e com veículos de terceiros; uma redução de 11% nos edifícios centrais e uma redução de 9% na rede comercial.

As emissões globais de carbono por colaborador caíram 15%, tal como o consumo de energia nas instalações por colaborador, excluindo o data center (-4%).

Tendo em conta que entre 80 a 90% das emissões de carbono da actividade da CGD resultam do consumo de electricidade nas suas instalações, a empresa iniciou em 2011 a substituição de equipamentos do sistema de AVAC (Aquecimento, Ventilação e Ar-Condicionado), tendo sido optimizadas as condições de funcionamento. Paralelamente, foram instaladas lâmpadas de baixo consumo.

Em 2012, explica a empresa, estão previstas “novas medidas nos sistemas de AVAC do edifício-sede e intervenções adicionais em cerca de 50 agências”.

O investimento nas energias renováveis – incluindo a maior central solar térmica do País – levou a CGD a produzir, só em 2011, mais de 983 MWh de energia. No sistema de microgeração solar fotovoltaico, por outro lado, produziu-se 350 MWh de energia.

Entre 2006 e 2011, o conjunto de medidas implementadas pela CGD já contribuiu para a redução de 13% no consumo de electricidade nas suas instalações, o que representa uma poupança global de cerca de 14 GWh/ano, evitando a emissão de cerca de 6.500t CO2e/ano.

Conheça outros dos números da CGD (clique nas fotos para aumentar a legibilidade).

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php