Artemix: como os portugueses recorrem ao artesanato caseiro para fugir à crise

Começou pequenino, em forma de blog, mas cresceu para um site onde os artesãos portugueses podem colocar os seus produtos, promovê-los e vendê-los. Mas também onde há espaço para dicas de moda e sugestões DIY (Do It Yourself) “Faça você mesmo”, em português.

Desenvolvido por Cátia Costa e Júlia Vilaça, o Artemix é uma espécie de feira de artesanato online, que dá aos artesãos portugueses uma nova forma de se tornarem conhecidos e onde podem comercializar as peças que criam à mão – sejam ou não profissionais.

“Existem inúmeros portugueses a comercializar peças que criam à mão na internet. Mas, devido à dimensão da internet, nem todos conseguem chegar a estes artesãos, por isso, e à semelhança de uma feira de artesanato, surgiu o primeiro mercado português online que agrega inúmeros artesãos”, explicou ao Green Savers Cátia Costa.

Para já, a maioria dos artesãos presentes não paga renda nem comissões para venda de produtos. Há várias formas de pagamento previstas, entre referências multibanco, PayPal ou cobrança. “O tempo dos nossos avós está na moda: rendas, tricô, bijutarias, roupas feitas à mão, tudo serve para estar originalmente na moda – e ao mesmo tempo ajudar no orçamento familiar”, continua Cátia Costa.

O Artemix tem como slogan “Artesenato Urbano de A a Z” e disponibiliza categorias como arte, brinquedos, produtos para a casa, costura, joias, bijutaria, livros e revistas, malas e bolsas, roupa, velas ou produtos vintage.

Ainda em fase de lançamento, o Artemix já conta com perto de 1600 produtos à venda. Veja alguns dos produtos disponibilizados no mercado.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php