Mini hidrelétrica das Honduras vai garantir sustentabilidade do festival Cool Jazz

Mini hidrelétrica das Honduras vai garantir sustentabilidade do festival Cool Jazz

A edição de 2013 do EDP Cool Jazz, festival de música que traz a Portugal nomes como Rufus Wainwright, Jamie Cullum ou John Legend, terá toda a sua pegada carbónica compensada. Segundo a organização do festival, a neutralização da pegada de carbono será efectuada com créditos de carbono de alta qualidade através de um projecto de uma mini hidreléctrica das Honduras.

“[Esta infra-estrutura] contribui para a sustentabilidade das comunidades onde se insere, de acordo com as mais exigentes regras das Nações Unidas e outros standards internacionais”, explica a organização.

Assim, serão entregues certificados de compensação personalizados a cada banda convidada. Entre as principais fontes de emissão de gases com efeito de estufa do evento estão o consumo de diesel dos geradores, produção de brindes, impactos da administração e coordenação, voos, mobilidade e alojamento das bandas convidadas, veículos de serviço, resíduos produzidos e mobilidade dos espectadores.

Para desenvolver esta iniciativa, a EDP socorreu-se da e)mission, uma marca internacional de gestão de carbono que apoia as organizações e empresas a reduzir o seu impacte no clima. A e)mission identificará os dados necessários para este cálculo, seguindo as metodologias do Greenhouse Gas Protocol – desenvolvido pelo World Resources Institute e o World Business Council for Sustainable Development.

A fronteira operacional razoável para este estudo inclui todas as principais fontes de emissões que deverão ser tomadas em conta para compensar e afirmar a iniciativa como sendo neutra em carbono. Como fronteira operacional, serão considerados, sempre que possível, os mesmos pressupostos dos anos anteriores de forma a poder efetuar benchmarking ano após ano.

O EDP Cool Jazz realiza-se em Julho no concelho de Oeiras.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php