Produto natural e ecológico pode aumentar a produção agrícola em 20%

Existe um produto capaz de permitir um aumento da produção agrícola em 20%, garante a empresa portuguesa i9agro. A substância é natural, não contém químicos e reduz a aplicação de pesticidas nas culturas em mais de 50%.

Em Portugal, o produto é disponibilizado pela empresa de inovação na agricultura e no meio ambiente i9agro, formada por dois jovens portugueses. A poção mágica tem como nome Fullcrhum e resulta numa mistura eficaz de bactérias enzimáticas, 100% natural e ecológica.

“Serve como um catalisador para a decomposição orgânica, para a reabilitação e conversão de elementos de resíduos tóxicos em nutrientes viáveis ​​para o meio ambiente e para o aumento da produção”, avança a dupla.

O composto foi desenvolvido ao longo de 36 anos por uma equipa de cientistas italianos. Segundo eles, o produto é não só capaz de recuperar o meio ambiente da toxicidade, como também o consegue tornar mais forte e saudável.

“No caso de Portugal, com as condições naturais de que usufruímos, é absurdo que importemos muitos bens agrícolas”, explicam Emanuel Lemos e Rui Carvalho. “Portugal está longe de ser auto-suficiente, pelo que todos os esforços para a inversão da situação são necessários e, como tal, queremos insurgir-nos no mercado, disponibilizando uma solução emergente à problemática da agricultura, evitando as importações e aumentando as exportações.”

A empresa comercializadora do produto garante que ele combate eficazmente a poluição ambiental, actuando de forma totalmente ecológica. Permite também o aumento da resistência contra pragas e doenças, a produção de alimentos de melhor qualidade, o tratamento de solos contaminados e a purificação de águas provenientes de esgotos domésticos.

A ambição a longo prazo dos dois jovens é conseguir disseminar o uso desta substância na agricultura nacional, criando em solo luso uma unidade de produção que permita a sua aquisição a baixo custo e ainda a criação de empregos.

Segundo a empresa, o produto está a ser usado em Itália na reabilitação do poluído rio Corno e em plantações de alface, em culturas na Nova Zelândia, e também já em Portugal, na reabilitação de um terreno no Bombarral contaminado por lixívias tóxicas industriais.

Fotos: Sob Licença Creative Commons

Comentários (Facebook):