Sudoeste alentejano tem vagas para empregos na agricultura, avisa Assunção Cristas

Sudoeste alentejano tem vagas para empregos na agricultura, avisa Assunção Cristas

A empresa Maravilha Farms, que produz frutos vermelhos no sudoeste alentejano, tem dificuldade em contratar trabalhadores de nacionalidade portuguesa, de acordo com a ministra da Agricultura, Assunção Cristas.

“Aqui há oportunidades de emprego”, explicou a responsável, citada pela Lusa. Cristas afirmou que existem “oportunidades reais” de emprego para mão-de-obra qualificada nas explorações hortofrutícolas do concelho de Odemira, tendo apelado aos portugueses para se interessarem por esta área.

“[Este é] um trabalho importante para se fazer [e para o qual] é preciso ter alguma qualificação”, explicou Cristas, uma vez que a apanha é completamente manual e estes frutos – framboesas, morangos e mirtilos – têm requisitos próprios.

“Haja interesse das pessoas e há também com certeza interesse em fazer essa formação”, afirmou Assunção Cristas, que ontem visitou as explorações da Vitacress, da Maravilha Farms e da Atlantic Growers, instaladas no concelho do sudoeste alentejano.

O director-geral da Maravilha Farms, Luís Pinheiro, explicou que “apenas 10%” dos trabalhadores agrícolas que a empresa tem em São Teotónio são portugueses. Nestes campos trabalham, “essencialmente”, búlgaros, romenos, ucranianos e, desde há cerca de três anos, tailandeses.

Esta dificuldade de recrutamento deve-se, na opinião do gestor, a “algum desligamento entre os portugueses e a agricultura há alguns anos, que tem sido difícil de retomar”, sendo esta actividade encarada como “desprestigiante”. Ainda assim, existe desde há dois anos uma maior procura por parte dos portugueses.

Em Tavira, onde a Maravilha Farms tem cerca de 20 hectares de produção de framboesas e morangos, “quase 50% da mão-de-obra” é de nacionalidade portuguesa, indicou Luís Pinheiro.

A ministra da Agricultura tem o mesmo entendimento sobre esta mudança de mentalidades relativamente ao trabalho na agricultura. “Hoje, eu creio que a agricultura e o sector agroalimentar já são entendidos e percepcionados também pelas pessoas (…) como, de facto, áreas importantes para o crescimento do país, para a geração de emprego”, referiu Assunção Cristas.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

6 comments

  1. Reis

    Claro,
    E que motivos dão para um migração com esse objectivo? Ganhar 500€ por 12Horas de trabalho duro não ajuda a tomar a decisão de deixar a cidade natal e começar do zero nessas zonas. Mão de Obra qualificada não deve viver de esmolas!

  2. joao pedo

    gostaria de trabalhar na apanha de fruta

  3. alberto barros

    Tenho disponibilidade total e imediata, tenho alguma experiência em apanha de fruta(cereja na suiça)
    Tenho boa constituição física e sou bastante activo em termos de trabalho.
    Tenho 33 anos, residente no Porto e estou actualmente desempregado.
    Contacto:913093440

    Sem mais assunto
    Alberto Barros

  4. Marta Salazar

    Boa tarde,
    O meu nome é Marta , residente em sintra. Estou interessada em integrar na equipa.
    Gostaria de saber se ainda há possibilidades.

    Deixo aqui o meu contacto: 914843169

    Obrigada,
    Com os melhores cumprimentos,

    Marta Salazar

    -1
  5. Luís Mota

    Boa tarde,tenho disponibilidade imediata,chamo-me Luís Filipe e resido em Lisboa,gostaria de trabalhar na apanha de fruta,tenho experiência (Vindimas).
    Deixo aqui o meu contacto : 917363162

  6. bela lopes

    Venho por este meio candidatarme ao vosso anucio,e mostrar interesse em trabalhar com voces,conheco mais pessoas aue gostariao de trabalhar neste ramo avradeco qus dntrem dmcontacto

Patrocinadores

css.php