Varas Verdes: bancos portugueses que nascem de paletes usadas (com FOTOS)

Varas Verdes: bancos portugueses que nascem de paletes usadas (com FOTOS)

Imagine o típico banco português feito de madeira, rústico e multifuncional, como só ele sabe ser. Agora imagine que o objecto toma novas linhas e cores, ajustando-se às modas modernas, mas ainda assim mantendo o seu aspecto tradicional. Consegue imaginar? A Varas Verdes conseguiu – e com reconhecido êxito ecológico.

Partindo de paletes de madeira inutilizadas e outros materiais em fim de vida pouco atractivos, a Varas Verdes cria peças de mobiliário absolutamente deliciosas. O projecto é português e as peças são totalmente feitas à mão, de forma amiga do ambiente, com o mínimo de recursos e consumos possível. É mais um exemplo de recuperação de desperdícios e de empreendedorismo em terras lusas.

A equipa é composta por seis jovens entre os 28 e os 33 anos, provenientes de áreas de formação tão díspares como design, marketing e publicidade, arquitectura, informática e gestão. Gustavo Assunção é um dos elementos do colectivo, responsável pelo branding do projecto. O responsável explica assim, ao Green Savers, a natureza deste nome: “As varas verdes são tenras, logo mais fáceis de moldar para construir”.

A magia acontece em Lisboa, através de matéria-prima doada ou encontrada na rua, à qual já não é dada uso. Daí nascem bancos de diferentes dimensões, inspirados nos mercados locais e nos produtos que aí podemos encontrar – como a sardinha, a alface ou o medronho.

Mercado Collection é o nome da primeira linha de mobiliário deste colectivo artístico inovador. A colecção resulta numa paleta colorida, poderosa aos sentidos, que quase chega a trespassar cheiro e sabor. “Fomos capazes de montar um puzzle e fazer passar a mensagem ‘pallet your planet’”, afirma Gustavo.

O porco Jacó é a mascote da Varas Verdes. De inspiração alentejana, ele representa a vontade de criar e inovar no campo da pintura, do design e do restauro. Trata-se de “um porquinho estilizado com orelhas grandes e com vontade de voar. [O porco foi] desenhado de modo a desafiar a arte contemporânea portuguesa”.

A ambição maior do grupo é a de conseguir criar um modelo de negócio assente no consumo de baixos recursos, conceptualmente ligado ao meio ambiente e ao que é tradicionalmente português. E é assim que natureza, reciclagem e tradição se unem num único objecto.

Fazendo a encomenda através do site, os interessados podem adquirir qualquer uma das peças do portefólio disponível – os preços variam entre os €45 e os €73, consoante o tamanho. Podem ainda solicitar a criação de uma mobília personalizada – seja ela uma mesa, um banco corrido, uma cama, um aparador ou uma prateleira.

A Varas Verdes pretende ser capaz de, no futuro, criar postos de trabalho, continuando a passar uma mensagem apoiada em valores justos para a natureza. Segundo Gustavo, os planos passam por “estender o portefólio da Mercado Collection, criar novos produtos e conquistar o planeta”.

Alegre a casa com cores, apoie o que é português e ajude a preservar o meio ambiente – o Jacó veio para ficar.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php