Vinhos do Alentejo avançam para plano de sustentabilidade

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), em parceria com a sociedade de estudos e projectos AGRO.GES, está a desenvolver um plano de sustentabilidade para os vinhos do Alentejo.

Na verdade, as iniciativas de promoção da sustentabilidade estão presentes em algumas das mais importantes regiões vitivinícolas mundiais – e o Alentejo, região com vinhos de grande qualidade, não quer ficar atrás.

“Prevê-se que os benefícios deste plano tenham especial impacto em mercados nos quais os vinhos do Alentejo têm vindo a ganhar relevância e que são particularmente exigentes em relação aos aspectos ambientais e sociais: EUA, Brasil, Suíça, Canadá ou Noruega”, explica a região em comunicado.

Os vinhos do Alentejo são actualmente líderes de mercado em Portugal, com uma quota de 43%, sendo esta a região com maior crescimento nos últimos 20 anos. “Este crescimento deve-se, em boa parte, ao cariz inovador e investidor que pauta a região e os seus produtores”, avança a CVRA.

Vantagens do plano para a região
O plano de sustentabilidade para os vinhos do Alentejo pretende antecipar exigências dos principais clientes dos vinhos alentejanos, nomeadamente dos mercados externos, onde as credenciais de sustentabilidade podem ser um requisito de entrada ou de permanência. A existência do plano constituiu um factor distintivo nestes mercados face a outros produtos que ainda não tenham a mesma preocupação, e vem de encontro a um tema emergente na agenda empresarial internacional.

De acordo com a CVRA, o plano pretende também identificar áreas – como o consumo de energia e fertilizantes ou a produção de resíduos – passíveis de serem optimizadas, diminuindo os custos de produção e distribuição. Pretende ainda assegurar a produção e reporte transparente dos principais indicadores ambientais, sociais e económicos.

O plano assume também importância em termos de comunicação, podendo ser um instrumento de grande eficácia na divulgação do compromisso de responsabilidade ambiental da região, designadamente na sua transmissão direta ao mercado, através do produto.

Em suma, a região vitivinícola do Alentejo poderá tirar vantagens competitivas deste plano de sustentabilidade, tanto numa perspetiva de mercado – indo ao encontro das exigências dos mercados (sobretudo os externos), como também pode ver assegurada a viabilidade a longo-prazo dos recursos naturais e do negócio vitivinícola.

O plano abrange as três dimensões sustentabilidade: ambiente (solos, água energia e carbono, resíduos), economia (qualidade, tendências do consumidor, diferenciação, rentabilidade de longo prazo) e sociedade (RH, comunidades locais, herança cultural).

Objectivos do plano
Com este plano, pretende-se integrar as três vertentes da sustentabilidade na operação e comunicação da região vitivinícola do Alentejo.

“Será construída uma visão partilhada com todas as partes interessadas, sobre sustentabilidade para a produção vitivinícola da região. O desempenho dos vinhos do Alentejo nas três vertentes acima referidas será reforçado, com o contributo do plano para o desenvolvimento de projectos inovadores e custo-eficazes. Será possível passar a reportar de forma mais transparente o desempenho e promover o reconhecimento da sustentabilidade dos vinhos da região a nível interno e externo”, termina a CVRA.

Quando estiver terminada a iniciativa, a sustentabilidade ficará integrada numa estratégia global da marca vinhos do Alentejo.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php