10 profissões em vias de extinção

10 profissões em vias de extinção

Há vários séculos que a força humana tem vindo a ser substituída pela força da máquina. Com o constante avanço da tecnologia, as máquinas tornam-se cada vez mais perfeitas e aptas a desempenhar os trabalhos outrora executados pela espécie humana.

Desta forma, as máquinas vão ganhando terreno e num futuro bem próximo podem mesmo pôr em risco as profissões de muitas pessoas. De acordo com a Mashable, que refere um estudo da Universidade de Oxford, em 2033, a automatização deverá ser responsável por executar 47% do total de profissões existentes. Se está a planear uma carreira que se expanda para além da próxima década fique a saber as profissões que podem estar em vias de extinção.

1.Bancário da rede comercial

Quando foi a última vez que se dirigiu aos balcões comerciais de um banco e necessitou da ajuda dos funcionários da caixa? A menos que necessite de efectuar transacções complicadas ou necessite de outro tipo de serviço financeiro, uma caixa multibanco é o suficiente para responder às suas necessidades. Segundo Mark Gilder, director de estratégia de distribuição do Citibank, “pelo menos 85% das operações que se podem fazer, presencialmente, nos balcões comerciais, são também possível de efectuar nas caixas multibanco”.

2.Empregado de caixa

A profissão de empregado de caixa é dos exemplos mais claros que podem ser substituídos por uma máquina. Aliás, as máquinas automáticas estão já presentes nos supermercados e o número tem vindo a aumentar. Estima-se que existam cerca de 430 mil caixas de pagamento automático em todo o mundo, mais do que o quadruplo do que em 2008.

3.Recepcionista

Actualmente, é possível às empresas e escritórios evitarem a contratação de alguém para atender os telefones e receber os clientes, graças a softwares que desempenham virtualmente o papel de recepcionista. No Japão já existem mesmo robots a desempenharem a profissão.

4.Operador telefónico

Os operadores telefónicos – por definição pessoas que atendem telefones em grandes empresas e reencaminham chamadas ou prestam apoio aos clientes através de cal centers – podem vir a ficar sem emprego, à medida que o outsourcing e a automatização se tornam omnipresentes.

5.Correio

Dentro de poucos anos, a pessoa que lhe deixa a correspondência na caixa de correio poderá deixar de o fazer. O email e as facturas electrónicas permitem a redução da correspondência em circulação e, com o aumento da utilização deste meio de correspondência nos próximos anos, a profissão de correio pode vir a acabar.

6.Agente de viagens

Há poucos anos, para reservar uma viagem de avião era necessário recorrer a uma agência de viagens, que lhe indicaria as datas e os preços e todas as opções possíveis. Actualmente, é possível consultar todas estas informações online, nas páginas das companhias aéreas, e existem sites que permitem comparar os preços de todas as opções disponíveis e fazer a sua reserva online.

7.Dactilógrafo

Já imaginou o director de uma empresa a ditar uma carta à sua secretária nos dias de hoje? Talvez. Porém, a profissão de dactilógrafo está em desuso, já que a maior parte dos profissionais sabe utilizar os computadores e já existem softwares de reconhecimento de voz que permitem aos profissionais com pouco tempo para escrever ditar o que necessitam que fique escrito.

8.Jornalista

Com o advento da tecnologia e o aumento da utilização dos meios online, como os blogs e agregadores, cada vez menos pessoas compram jornais. Como consequência, a tiragem em papel dos jornais tem vindo a diminuir e o investimento em publicidade, responsável em grande parte pelos lucros do jornal, também é menor. Paralelamente, já existem softwares que criam notícias e substituem quase na perfeição um jornalista humano. Por exemplo, o New York Times utiliza já esta tecnologia de semântica para escrever os anúncios de casamento. Mas estarão os jornalistas em perigo de extinção? Aqui o Mashable terá exagerado.

9.Operador de base de dados

Também já existe software que elabora as bases de dados e, com a quantidade de informação, que circula na internet, recolher informação tornou-se bastante mais simples.

10.Telemarketing

Serão poucos os que irão sentir falta destes profissionais que ligam constantemente a publicitar e a tentar vender produtos. Porém, não é motivo de alegria, já que os telemarketers estão a ser substituídos por robots inteligentes que lhe irão continuar a ligar e a tentar vender produtos.

Foto:  Made By Bees / Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

3 comments

  1. jrgaugusto

    …tudo coisas administrativas e burocráticas – para pessoas chatas e pouco dadas à inteligência daí eu ter deixado de ser contabilista, praga…

  2. Vìtor Reis

    Penso que chegou a hora de fechar a porta, mudar de lugar… talvez um outro mundo e começar tudo de novo. Atenção!.. Este mundo novo, deve ser interdito a todas as pessoas gananciosas, sem escrúpulos, egoístas, avarentos, gente de inteligência retorcida, para quem todos os outros são estúpidos e indispensáveis.
    No Novo Mundo… só serão bem-vindos,aqueles que vierem por bem e que saibam que o Mundo é redondo e que para abraçar um Mundo Novo, é preciso dar as mãos!

  3. anonymous

    bullshit

Patrocinadores

css.php