Algarve: projecto une a memória dos artesãos mais velhos à criatividade dos mais novos (com VÍDEO)

Algarve: projecto une a memória dos artesãos mais velhos à criatividade dos mais novos (com VÍDEO)

O Algarve é uma região de contrastes. Considerada uma das zonas mais belas da Europa, com as suas praias paradisíacas, o Algarve é também uma região com emprego sazonal, incerto, e fluxos migratórios elevados.

A falta de emprego para os jovens é uma das grandes lacunas da região, e ela está a ser combatida, entre outros, com projectos como o TASA (Técnicas Ancestrais Soluções Actuais). O projecto tem como pano de fundo o artesenato e procura aliar a tradição algarvia aos artesãos locais.

“O projecto foi desenvolvido para provar que o artesenato pode ser uma actividade com futuro. E para os jovens, porque sem eles não é possível manter esta actividade”, explicou ao Economia Verde Alice Pisco, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR), que lançou o projecto em 2010.

Uma das grandes mais-valias do projecto passa pela abordagem contemporânea acrescentada a estes produtos regionais de artesenato, que foi considerada essencial para a sua afirmação nos mercados nacional e internacional.

Hoje, o TASA é dinamizado pela ProActive Tur, uma empresa de turismo responsável, em virtude da decisão dos 10 artesãos iniciais da rede em continuar a trabalhar no projecto. Com idades entre os 30 e os 60 anos, estes artesãos já criaram 30 novos produtos – cortiça, linho, folhas de palma, barro e madeira são algumas das matérias-primas mais utilizadas.

O projecto apoia-se na memória dos mais velhos e criatividade dos mais novos, reinventando uma arte esquecida. “O TASA juntou artes diferenciadas. Temos vários produtos trabalhados por dois artesãos em conjunto. Outras das decisões do projecto foi comercializar artefactos utilitários, ou seja, não temos objectos puramente decorativos”, concluiu Alice Pisco.

A ligação entre os dez artesãos é feita pela designer Joana Cabrita Martins, nascida em Faro. “Existe uma proximidade muito grande entre todos, e embora alguns já tenham uma certa idade, todos têm abertura para me receber e falar abertamente sobre ideias novas. E eles entusiasmam-se facilmente com os novos produtos”, explicou a designer ao Economia Verde.

O projecto, que já foi alvo de reportagem no Green Savers em Janeiro, está a ser desenvolvido e coordenado em Loulé. Veja o episódio 209 do Economia Verde.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php