Cotonetes são os resíduos mais encontrados no mar e praias. Saiba porquê. (com VÍDEO)

Cotonetes são os resíduos mais encontrados no mar e praias. Saiba porquê. (com VÍDEO)

Falar de lixo marinho é falar, sobretudo, de plástico. O tema está longe de ser tratado com a importância e seriedade que merece. Um exemplo: nos últimos 10 anos produziu-se mais plástico que em todo o século XX, sendo que muito deste acaba no oceano – há hoje 20 milhões de toneladas de plástico nos mares de todo o mundo.

“Estamos a depositar plástico no ambiente desde meados do século XX. Nessa altura não havia gestão de resíduos, nem se falava disso. Hoje já se fala na gestão de resíduos, mas a melhoria da sua eficiência é muito útil para reduzir este problema”, explicou ao Economia Verde Paula Sobral, da Associação Portuguesa de Lixo Marinho – uma entidade criada em Novembro e que procura trabalhar com todos os sectores da sociedade para minorar este gravíssimo problema que temos com o lixo marinho.

Com as tempestades das últimas semanas, grande parte do lixo marinho fica visível nas praias – como o Economia Verde testemunhou in loco. Há uns anos, este lixo era proveniente, sobretudo, das actividades marítimas. Hoje, ele tem origem terrestre – 80%.

Segundo Paula Sobral, há pequenos hábitos que podem mudar esta situação. Um exemplo: os cotonetes são dos resíduos mais encontrados nos oceanos e praias, uma situação que ocorre devido à sua deposição nas sanitas.

“As estações de tratamento não têm capacidade para reter esses cotonetes, que são demasiado finos e acabam no meio aquático”, frisa Paula Sobral.

Também os produtos esfoliantes, sobretudo os que se podem encontrar nas prateleiras dos supermercados, contêm partículas de plástico microscópicas e que são introduzidas, assim, no ambiente.

“[Estas partículas], juntamente com as pastilhas de resina virgem resultantes das fugas das indústrias e das fragmentação dos objectos maiores de plástico… todos estes conjuntos de pequenas partículas, os chamados microplásticos, acabam por ser confundidos por alimento pelos animais marinhos”, argumenta a responsável.

Saiba como estes problemas ainda nos vão assombrar durante dezenas de anos no episódio 203 do Economia Verde.

Foto: Praia da Saúde / José Carlos Ferreira

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php