Guarda: descargas poluentes no rio Diz acontecem há anos e não têm solução prevista

Guarda: descargas poluentes no rio Diz acontecem há anos e não têm solução prevista

Há vários anos que é descarregado um poluente industrial de uma fábrica têxtil nas águas do rio Diz, um afluente do rio Noéme, na Guarda, e ainda não foi encontrada solução para o problema.

Segundo a Quercus, o efluente industrial provém de uma empresa têxtil que se dedica à lavagem de lãs e fiação de mesclados de lã e acrílico, sendo que o processo gera águas residuais. Apesar de a empresa possuir uma estação de tratamento para as águas, segundo refere a Quercus em comunicado, a ETAR tem-se revelado insuficiente para o tratamento das águas poluídas e têm ocorrido descargas directas para o rio Diz.

Para tentar resolver o problema, o Núcleo Regional da Guarda da Quercus propôs a marcação de uma reunião com o novo executivo da Câmara Municipal da Guarda sobre o assunto. Porém, até ao momento, o núcleo ainda não teve qualquer resposta.

No sentido de pressionar as entidades competentes para solucionarem o problema, a Quercus iniciou um abaixo-assinado, que conta com o apoio de várias juntas de freguesia por onde o rio Noéme passa. Está também agendada uma caminhada pelo mesmo rio para o próximo dia 23 de Março, como forma de protesto cívico perante a situação.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php