Síria: cientistas criticam destruição de armas químicas no mar

Síria: cientistas criticam destruição de armas químicas no mar

A missão conjunta entre a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) e a Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou que foi removido da Síria uma remessa de armas químicas que serão destruídas em alto mar num navio da marinha dos Estados Unidos da América, informa o Environment News Service.

A remoção dos agentes químicos do país árabe implica serem transferidos, nos próximos dias, para o navio da marinha norte-americana MV Cape Ray – nenhum país aceita destruir as armas químicas no seu próprio solo. Depois das armas químicas da Síria serem carregadas para o Cape Ray, o navio irá navegar em águas internacionais e começar a neutralizar as armas.

O navio norte-americano possui um sistema de hidrólise que, segundo disse o porta-voz do Pentágono Steve Warren em declarações à imprensa, “irá neutralizar os materiais através de um processo concebido para tornar os produtos químicos em compostos que não sejam utilizáveis ​​como armas”.

Em conformidade com as decisões do Conselho de Segurança da ONU e do Conselho Executivo da OPAQ, as armas químicas da Síria estão a ser transportadas para fora do seu território para assegurar a sua destruição da “forma mais segura e mais rápida” até ao dia 30 junho de 2014.

No entanto, alguns cientistas acreditam que a operação poderá não correr tão bem como planeada. Embora o processo de hidrólise seja capaz de neutralizar os produtos químicos com segurança, poderá haver contaminantes e impurezas que não permitam o processo de destruição das toxinas da forma mais segura, indica o Inhabitat.

 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php