Cheias devastadoras nos Balcãs desenterram minas terrestres

As cheias dos balcãs

Na última semana, a região dos Balcãs experimentou níveis de precipitação equivalentes a três meses, o provocou as maiores cheias de que há memória. Há centenas de pessoas isoladas à espera de ajuda, milhares foram obrigadas a deixar as casas e bens para trás e as autoridades dão conta de pelo menos 44 mortos. Contudo, este pode não ser o balanço final já que o nível das águas continua a subir em algumas zonas.

O primeiro ministro da Sérvia, Aleksandar Vucic, declarou já estado de emergência em muitas cidades do país, incluindo a capital, Belgrado. Também na Bósnia foi declarado o estado de emergência nacional, refere a Mashable.

Uma das situações mais complicadas vive-se em Obrenovac, cidade a sul de Belgrado, onde depois de quatro dias de chuva intensa ainda há pessoas que esperam por ajuda nos telhados de casas e prédios. O mau tempo afecto também a produção de electricidade, havendo muitas pessoas sem energia há vários dias, numa altura em que a Sérvia tem a produção eléctrica reduzida em 40% e foi obrigada a aumentar as importações, agudizando os problemas financeiros do país.

Na Bósnia a situação é também dramática. Quase um terço do país foi afectado pelas cheias. Um dos locais mais afectados é a cidade de Doboj, onde as cheias e os deslizamentos de terra provocaram pelo menos 27 mortos. No total, há cerca de 150.000 habitações sem electricidade na Bósnia.

Além de socorrer todas as pessoas isoladas e restabelecer a electricidade a milhares de casas, uma das principais preocupações das autoridades de ambos países está relacionada com as minas terrestres, deixadas pela guerra da ex-Jugoslávia, que não explodiram e foram agora expostas pelas cheias e pelo deslizamento de terras, constituindo um perigo para os civis.

As intensas chuvas provocaram ainda algumas inundações na Áustria e Croácia. Vários países da União Europeia, e também a Rússia, estão a participar nos esforços de auxílio à Sérvia e à Bósnia.

A precipitação extrema observada nos Balcãs é coerente com ocorrências verificadas em outras partes do globo, que indicam que o planeta está mais quente em resultado das elevadas emissões de gases com efeito estufa. Como resultado, as grandes cheias têm-se tornado mais severas e frequentes. Nos últimos anos, países como a Alemanha, Polónia e República Checa experimentaram graus de precipitação e cheias anormais.

Fotos: Associated Press / Mashable

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php