Como os fabricantes de vidro estão inovar para evitar colisões de aves

Como os fabricantes de vidro estão inovar para evitar colisões de aves

Todos os anos, entre 365 milhões e 988 milhões de aves morrem, nos Estados Unidos, devido a colisões com edifícios e casas, de acordo com um relatório da BioOne. Para contornar este problema, várias empresas que fabricam janelas e vidros estão a pesquisar formas de começar a reduzir este grande número de colisões mortais. Recorrendo à inovação, claro.

Segundo o The New York Times, há cada vez mais cidades e estados norte-americanos, como São Francisco e o Minnesota, a adoptarem standards que promovem a segurança das aves. Mas isso pode não ser suficiente.

“Quase toda a gente já viu ou ouviu uma ave a bater contra um edifício. As empresas que fabricam os vidros estão a aperceber-se que existe um mercado para os produtos amigos das aves”, explicou à NPR Christine Sheppard, uma activista contra as colisões de pássaros da American Bird Conservancy.

Uma das ideias, que está a ser testada por investigadores da Fordham University, pondera acrescentar pequenas tiras verticais brancas e pretas às janelas, para evitar que as aves vão contra estas.

Durante as experiências, quando as aves entram em túneis de vento parcialmente bloqueados pelo vidro listado, elas tendem a evitar as listas. Outra ideia, menos intrusiva mas  mais cara, foi proposta pelo fabricante de vidro Arnold Glas. A empresa desenvolveu um revestimento reflexivo padronizado e ultravioleta, que tem a vantagem de ser quase transparente ao olho humano mas é detectável pelas aves.

Não são apenas as janelas que estão a causar problemas, mas também a forma como elas são usadas. As grandes fachadas espelhadas, por exemplo, são especialmente perigosas para as aves migratórias. Assim, os investigadores de Fordham estão a tentar descobrir exactamente quanto espaço elas podem colocar entre as listas, em grandes pedaços de vidro. Se eles conseguirem encontrar o “ponto G” que agrade aos arquitectos e possa repelir os pássaros, esta pode ser uma solução plausível.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php