Mais de 4.300 presos vão combater os fogos da Califórnia

Mais de 4.300 presos vão combater os fogos da Califórnia

Mais de 4.300 presos de baixo risco vão ajudar a combater os fogos na Califórnia, naquela que será uma das mais ameaçadoras épocas de incêndios da história do estado norte-americano. Estes presos fazem parte do Conservation Camp Program, que permite que alguns destes homens e mulheres possam combater os fogos em vez de passarem o seu tempo na cela.

Os presos vivem actualmente em cerca de 40 locais, concebidos especificamente para este efeito. O programa não é novo, aliás: ele data de 1946 e é o maior e mais velho do género dos Estados Unidos, resultando de uma parceria entre a California Department of Forestry and Fire Protection e o Departament of Corrections and Rehabilitation (CDCR)

Segundo explica o Huffington Post, estes presos representarão um terço da força de bombeiros californiana. O estado norte-americano está a passar por uma das mais violentas secas da sua história e, para complicar a situação, o número de fogos de 2014 já triplicou em relação a 2013.

“Estas equipas são vitais para nós, especialmente este ano, que será o mais difícil de sempre. São uma parte muito importante do nosso departamento e um grande recurso. Estamos constantemente a recorrer a eles”, explicou Lynne Tolmachoff, porta-voz dos bombeiros californianos.

Este programa está apenas aberto a presos que não tenham um historial de homicídio, crimes violentos ou fogo posto. São, sobretudo, presos a cumprir a parte final da sua pena – são penas de até dois anos, sendo que oito meses são passados nos campos de conservação.

Todos os presos passam por um treino rigoroso de um mês, com desafios físicos e noções sobre o fogo e como combater os incêndios. São pagos em dinheiro e em redução da pena – dois dias por cada dia de trabalho. E uma oportunidade para pagar a sua dívida para com a sociedade.

“Existe uma grande camaradagem quando estas equipas trabalham juntas. É um privilégio e é algo do qual muitos deles aprendem lições. Alguns dos presos, aliás, acabam por vir trabalhar connosco”, concluiu Tolmachoff.

Segundo o CDCR, esta iniciativa poupa aos contribuintes, todos os anos, cerca de €57,6 milhões (R$ 177 milhões). Recorde-se que este é um tema polémico em Portugal, ainda que muitas vezes mencionado por políticos e autarcas. E o leitor, concorda com ele?

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

1 comment

  1. Fernanda

    Acredito que se sentindo útil e solidário, o ser humano tem bem mais chance de recuperação do que ficando ocioso dentro de uma penitenciária. Parabéns Califórnia!

Patrocinadores

css.php