Petrolífera canadiana argumenta que os derrames são bons para a economia

Petrolífera canadiana argumenta que os derrames são bons para a economia

Quando a Kinder Morgan decidiu expandir a capacidade da sua pipeline – ou transporte tubular – de Alberta para Vancouver, no Canadá, teria de ter a aprovação da National Energy Board.

Para conseguir o aval deste instituto, a petrolífera utilizou um argumento audacioso, no mínimo: em caso de derrame de crude, quem fica a ganhar é a comunidade local.

“Os derrames na pipeline podem ter efeitos positivos e negativos nas economias locais e regionais, tanto no longo como curto prazo. A resposta aos derrames e a as acções de limpeza criam oportunidades de negócio e emprego para as comunidades e regiões afectadas”, argumentou a empresa, segundo o Edmonton Journal.

Este certeiro – mas invulgar – argumento foi acompanhado de uma descrição do tamanho do derrame. Assim, caso o derrame seja pequeno, a procura não será muita. No entanto, em caso de um derrame gigante, as oportunidades de resposta serão maximizadas.

Estranhamento, os governantes não ficaram convencidos com os argumentos. “Sabemos que a Kinder Morgan está a usar todos os truques do livro para tentar construir esta pipeline na nossa comunidade, mas isto é a cereja no topo do bolo – ver o derrame como algo bom para a economia local”, explicou Kennedy Stewart.

Assim, é pouco provável que esta expansão de pipeline vá para a frente.

Foto:  shannonpatrick17 / Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php