Enfermeiras portuguesas pedalam entre Londres e Lisboa para angariar fundos para clínica do Gana

ana e nadia_SAPO

Ana-Maria Valinho e Nádia Correia são portuguesas, licenciadas em Enfermagem Tropical, e vivem no Reino Unido há cinco e três anos, respectivamente. Em 2013, as duas jovens embarcaram numa missão humanitária até ao Gana, através da Foundation Human Nature, uma Organização Não-Governamental que gere uma clínica na região de Ashanti, o Huttel Health Center.

Quando regressaram a Londres, Ana-Maria e Nádia decidiram manter a ligação à região de Ashanti e, desta vez, colaborar financeiramente com a clínica Huttel, que serve uma região de dez mil pessoas e que trabalha, sobretudo, com a ajuda de voluntários locais.

Como estes utilizam bicicleta para tornar a sua intervenção mais rápida, as duas enfermeiras pensaram em transportar esta visão para o seu próprio projecto, pedalando entre Londres e Lisboa para angariar fundos para a clínica.

A viagem, que ficou conhecida por Ride for Ashanti (Pedalar por Ashanti, em português), começou a 16 de Setembro, em Londres, e chegou à Praça do Comércio a 11 de Outubro.

“O projecto parecia ambicioso, sobretudo para nós”, explicou Ana-Maria Valinho ao Green Savers. “Foram quatro meses de preparação para uma grande viagem de bicicleta. Pedalar entre Londres e Paris não era suficientemente sedutor, por isso a iniciativa teria de ter um horizonte maior, para os patrocínios também o serem. Por isso pensámos em Lisboa”, continuou.

De Londres a dupla seguiu para Portsmouth, no sul britânico, através da estrada 22. Passaram para Le Havre, já na França, por ferry, e fizeram Le Havre – Nantes através da via Mont St Michelle. Em Nantes chegaram à ciclovia europeia nº1, passando por Bordéus e Hendaye. Daqui seguiram para Vitoria Gasteiz, já em Espanha, Burgos, Valhadolid, Plasencia, Cáceres, Mérida e Badajoz.

Já em Portugal, pararam em Elvas e seguiram para Évora e Lisboa, através das estradas nacionais. No total, Ana-Maria e Nádia pedalaram 2.200 quilómetros durante 25 dias, dormindo no chão, sofás e camas da comunidade Warm Showers.

Consulte todas as actividades da Foundation Human Nature no site e Facebook.

Durante a viagem, uma certa ansiedade apoderou-se das duas amigas. “Ficámos frustradas ao ver que o número de donativos não subiu, mesmo quando colocávamos posts diários sobre a nossa aventura e o projecto da clínica do Gana”, segundo a enfermeira-ciclista.

No entanto, a história ainda não tinha terminado. Ana-Maria e Nádia apontavam para um objectivo de €4.500 (R$ 14.000) angariados, mas conseguiram reunir quase €8.500 (R$ 26.000).

“O dinheiro será usado para pagar novas baterias para os painéis solares da clínica e para a formação académica dos funcionários. A ONG foca-se no empowerment do staff da clínica, para que eles consigam, um dia, alcançar a independência de intervenção externa”, conclui Ana-Maria Valinho.

As duas enfermeiras regressarão agora a Ashanti. “Tivemos três meses de voluntariado para o progresso da clínica e dos funcionários. Foi uma experiência inesquecível, cheia de pessoas que, ainda sem recursos, estava bem dispostas e contentes”, concluíram.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php