Empresa portuguesa vai mobilar maior jardim botânico de Moçambique

A empresa portuguesa Larus, sediada em Albergaria-a-Velha, está a mobilar o maior jardim botânico de Moçambique, Jardim de Tunduro. Entre os diversos equipamentos de mobiliário urbano desenvolvidos pela Larus, destaque para dois desenhados por Álvaro Siza Vieira, Prémio Pritzker 1992.

O histórico jardim, que é uma referência no continente africano, será equipado com os bancos e papeleiras Serralves, da autoria do arquiteto Siza Vieira, papeleiras Urbus, bebedouros Cais, mupis Totem e dissuasores. Estes últimos equipamentos foram desenvolvidos pelo Gabinete de Projecto da Larus, que reúne uma equipa multidisciplinar constituída por designers e projectistas.

Esta é a primeira exportação da Larus para Moçambique, o que lhe permite intensificar o seu plano de expansão internacional e reforçar a intervenção em projectos urbanísticos.

Em África, a Larus já havia assinado os planos de renovação urbana da Medina de Casablanca, em Marrocos, e a Baía de Luanda, em Angola, tendo desenvolvido linhas de mobiliário urbano exclusivas para ambas as cidades. A linha Medina, inspirada na identidade marroquina, evoca os motivos geométricos da arquitectura local e os tradicionais potes de argila; a linha Embondeiro, por outro lado, é inspirada na árvore de referência da paisagem angolana.

“A investigação em design e a valorização da cultura e identidades locais, no desenvolvimento de produtos, têm permitido à Larus obter o reconhecimento internacional, conquistar os mais importantes prémios internacionais de design e ser hoje um dos principais players mundiais de mobiliário urbano”, explica a empresa em comunicado.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php