Brasil: barreira ecológica evitou que 13 toneladas de lixo fossem parar ao lago Guaíba em 20 dias

barreira_SAPO

Vinte dias depois de ter sido instalada, uma barreira ecológica instalada no Arroio Dilúvio, em Porto Alegre, já evitou que 13,3 toneladas de lixo fossem parar às águas do lago Guaíba, de acordo com o jornal Globo.

A estrutura foi instalada a 28 de Março e atravessa o arroio de um lado ao outro. Resíduos como garrafas de plástico, madeira e até animais mortos ficam retidos no local e são içados até à superfície por uma espécie de gaiola. Duas vezes por dia, por outro lado, uma equipa do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) passa pelo local para recolher os detritos.

Se a barreira não fosse colocada, adiantou ao Globo o director-geral da DMLU, Gustavo Fontana, todos estes resíduos tinham ido parar ao lago Guaíba. “Além das acções de cuidado do poder público e da iniciativa privada, é necessário que a população faça a sua parte e descarte os seus resíduos no local certo, que obviamente não é o Dilúvio”, continuou o responsável.

A construção da barreira arrancou em Janeiro deste ano e deverá operar durante cinco anos. Dentro de um ano será feito um primeiro balanço, que poderá manter a infra-estrutura ou, em alternativa, desmantelá-la.

A drenagem é necessária para facilitar o escoamento das águas das chuvas em direcção ao Guaíba, evitando o transbordamento. O projecto foi desenvolvido pela Safeweb, que é também responsável pela manutenção do serviço, e custou €62.000.

Foto: Luciano Lanes / PMPA

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php