Festival de música Marés Vivas antecipa concertos por causa das aves

mares vivas_SAPO

O início e encerramento dos concertos do festival de música Marés Vivas, que este ano se realiza junto à Reserva do Estuário do Douro, serão antecipados em meia hora. Esta é uma das recomendações da comissão de acompanhamento do festival, criada por despacho do Ministério do Ambiente para minimizar o impacto dos espectáculos no local.

Segundo o Jornal de Notícias, no primeiro dia do festival, em que actuará Elton John, Kelis e os D.A.M.A. o fecho terá de acontecer ainda mais cedo do que nos restantes dois dias. Paralelamente, a comissão de acompanhamento – composta pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e a Câmara de Gaia – propõe a criação de uma cortina verde através da plantação de árvores entre a ciclovia e a reserva, que no futuro servirá de reserva natural.

Recorde-se que o recinto distará 50 metros do areal que serve de abrigo e de local de nidificação de aves e o ruído poderá ter o efeito mais nocivo no bem-estar das espécies.

Para já, continua o Jornal de Notícias, serão colocadas barreiras acústicas e o palco principal ficará de costas para a reserva, na extremidade do Vale de São Paio. O palco secundário surgirá mais acima na encosta, direcionado para a praia marítima do Cabedelo. Todo a área estará também vedada, com a definição de um perímetro de acesso proibido ao público, ao longo da reserva. O Marés Vivas realiza-se entre 14 e 16 de Julho.

Foto: Marés Vivas, 2013: Chemical Brother. Feliciano Guimarães / Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php