sapo_SAPO

A multiplicação de substâncias químicas sintéticas no ambiente tem gerado uma grande preocupação para a vida selvagem. Agora, um estudo associa o a presença de uma hormona libertada pelas pílulas anticoncepcionais ao fenómeno que os cientistas chamam de feminilização verificado em espécies de anfíbios.

Segundo a Exame Meio Ambiente, as hormonas que imitam o estrogénio — e todos os dias chegam aos rios e lagos através da urina liberada no esgoto — estão a levar os espécimes machos a desenvolverem características fisiológicas das fêmeas, além de atrofiar os seus órgãos masculinos. Segundo os cientistas, o resultado extremo desse processo seria a própria redução da população de anfíbios, a ponto de levá-los à extinção.

A investigação foi produzida pelo Institute for Genomic Biology (IGB) em Illinois, nos Estados Unidos e pela Universidade de Wroclaw, na Polónia.

“Substâncias hormonalmente activas podem contribuir para o declínio global de anfíbios. Alguns compostos, por exemplo, de produtos farmacêuticos, ocorrem em concentrações biologicamente relevantes em ambientes aquáticos e, portanto, podem afetar o sistema hormonal e o desenvolvimento sexual dos animais”, explica os cientistas, citados pela Exame.

O estudo alerta para o facto de as estações de tratamento tradicionais não removerem essas substâncias com potencial de desregulação endócrina, fazendo com que os efluentes, mesmo após o tratamento, cheguem nos copos de água com altas concentrações desses compostos.

“Os anfíbios são quase permanentemente expostos a tais ameaças. Apenas se formos capazes de gerir esses riscos, é que conseguiremos eliminá-los no longo prazo”, concluiu o biólogo evolucionário Matthias Stöck, principal pesquisador do estudo.

Foto: Christoph Zurnieden / Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta