Alemanha está a construir o maior complexo residencial sustentável do mundo

sustentabilidade alemã

Já está em fase de construção o maior complexo de casas passivas de mundo. Situado na cidade alemã de Heidelberg, o empreendimento vai ter 162 apartamentos equipados com painéis solares em grande quantidade, enormes jardins verticais e paredes que transformam a poluição atmosférica em oxigénio.

Com o tamanho de um campo de futebol, o Heildelberg Village foi projectado pelo atelier alemão Frey Achitekten com o objectivo de ser uma obra exemplar de eficiência energética, fazendo uso de vários princípios da arquitectura bioclimática.

Para ser considerada uma casa passiva, os edifícios podem usar apenas pequenas quantidades de energia para o controle de temperaturas do complexo, algo particularmente difícil de alcançar no gélido Inverno alemão. Mas o desafio foi superado neste caso, uma vez que as casas nunca irão usar mais de 15 kilowatts/ por hora em gastos energéticos. Uma enorme mudança, tendo em conta os habituais 100 a 300 kWh gastos num apartamento convencional.

Painéis solares instalados no telhado de um prédio já são uma solução energética frequente nos dias que correrem. A diferença aqui está no facto de também terem sido instalado estes “geradores de energia” na fachada do prédio, conseguindo-se assim uma significativa redução no gasto energético: “Como conseguimos criar sombra com os painéis solares, estes ganharam uma dupla função: produção constante de energia e arrefecimento da temperatura no Verão”, explica Wolfgang Frey, presidente da Frey Architekten.

O complexo foi igualmente pensado para ser o mais “respirável” possível. Se há uns anos atrás se acreditava que para um edifício ser altamente eficiente as janelas não podiam abrir, hoje parece uma “ideia estúpida usar dispositivos eléctricos para fazer a circulação do ar durante todo o ano. Que desperdício de energia!”, exclama Wolfgang Frey. Em adição, sistemas de ventilação inteligentes adaptam-se automaticamente às necessidades reais dos moradores, garantindo-se assim a eficiência energética do complexo.

Lá fora, o edifício está coberto de plantas em enormes jardins verticais, tanto para o controle térmico do edifício, como para uma melhoria significativa da qualidade do ar. Também a tinta utilizada tem uma função eco-friendly: foi adicionado titânio à cor das paredes, que vai transformar a poluição atmosférica em oxigénio e nitratos inofensivos. “É um processo natural, que não requer qualquer uso de energia externa”, explica Frey.

Este projecto almeja ser muito mais que um simples complexo de apartamentos. Há todo um conceito de partilha sustentável com a natureza, onde ecologia, economia, inovação e rentabilidade são parte de uma equação de futuro.  O Heidelberg Village deverá estar pronto no início de 2017.

Foto: Frey Architekten 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php