placas-de-amianto

Até ao final de 2018 terão lugar medidas de remoção de amianto em 252 edifícios, considerados prioritários. A garantia foi dada hoje pelo ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, num investimento que ascende aos 46 milhões de euros.

As obras estão previstas já para o início de 2017, com as estimativas a indicarem o final de 2018 como prazo máximo para remoção de amianto nestes edifícios públicos.

Segundo as contas do Ministério do Ambiente, ainda há no nosso país 2.892 edifícios públicos com amianto, 252 são prioritários, 76 tidos como máxima prioridade. Destes 2892 edifícios há 1180 sob a tutela do Ministério da Educação, o que levantou algumas questões de deputados, nomeadamente do CDS e dos Verdes, aquando a intervenção do ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, na Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação, a decorrer hoje na Assembleia da República.

De recordar ainda que a medida agora anunciada, tinha sido já dada como prioridade no Conselho de Ministros dedicado ao ambiente, em Junho passado. Na altura, o governo avançou que iria ser dada primazia à retirada de amianto dos edifícios públicos que apresentem projectos com garantia de aumento da eficiência energética.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta