Mitos da cozinha saudável

Entre a dieta sem glúten e o regime hiperproteico há uma profusão de modelos de alimentação saudável que se encontram na moda. Mas tal como acontece no mundo da alta costura, nem todas as tendências vêm para ficar.

A par dos conselhos nutricionais que se baseiam no simples bom senso tem vindo a público informação abundante sobre “alimentação saudável” que, de acordo com muitos especialistas, carece de fundamentação ou perde o sentido quando apresentada fora de contexto. Miguel Ángel Martínez Olmos, especialista em Endocrinologia e Nutrição no Hospital Clínico Universitário de Santiago de Compostela e membro da Sociedade Espanhola de Endocrinologia e Nutrição veio a público desmistificar algumas ideias que começam a ser assimiladas pela população como autênticos postulados da alimentação saudável.

Segundo este especialista retirar o glúten ou a lactose da dieta alimentar, uma prática que começa a estar na moda, só traz benefícios para quem é intolerante: “O glúten é uma proteína, não engorda, e é o componente maioritário dos cereais. Se o eliminarmos da dieta, teremos que procurar substitutos, pois o glúten é necessário ao nosso organismo. O mesmo se pode dizer da lactose”, refere.

Miguel Olmos sublinha também que tanto o açúcar, como o azeite e as gorduras em geral não prejudicam se forem ingeridos com moderação e sobre o consumo da carne vermelha, afirma que só os excessos – que se verificam amiúde nas sociedades ocidentais – é que prejudicam a saúde.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php