Índia coloca 104 satélites em órbita, batendo recordes anteriores

People watch as India's PSLV-C37 carrying 104 satellites in a single mission lifts off from the Satish Dhawan Space Centre in Sriharikota

Eram 09h28 da madrugada (03h58 em Lisboa) quando na plataforma de Sriharikota, sudeste do país, foi alcançado o mais recente recorde de lançamento de satélites em órbita numa única missão. No total foram enviados para o espaço 104 satélites, um número que bate o anterior recorde da Rússia que, em 2014, havia lançado para o espaço 39 satélites em simultâneo.

“A missão PSLV-C37/Cartosat-2 Series lançou com sucesso os 104 satélites”, foram as palavras escritas pela Organização de Investigação Espacial Indiana (ISRO) na rede social Twitter, cerca de meia hora após o lançamento da missão.

Lançado a partir da plataforma de Sriharikota, o foguetão Polar está equipado com um satélite principal para a observação da Terra que pesa cerca de 714 quilos. A este massivo satélite juntam-se mais 103 nano satélites, com um peso total de 664 quilos. Estes 103 nano satélites não são apenas responsabilidade da Índia, com países como Israel, Cazaquistão, Suíça, Holanda, Emirados Árabes Unidos e Estados Unidos a participarem nesta missão. Só os EUA vão enviar 96 nano satélites.

O lançamento de satélites comerciais para o espaço tem vindo a tornar-se num negócio apelativo nos últimos anos. A missão hoje lançada quer bater o anterior recorde, alcançado em 2014 pela Rússia com o envio de 39 satélites, mas quer igualmente posicionar-se mais à frente nesta corrida espacial.

E os montantes envolvidos nesta corrida estão igualmente a disparar. Em 2013, pelo envio de um foguete não tripulado a Marte, a Índia gastou qualquer coisa como 69 milhões de euros. E o país não quer ficar por aqui. Para o futuro, a Organização Indiana de Pesquisa Espacial tem já planos para avançar com missões para Júpiter e Vénus.

Foto: Reuters 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php