Portugal e Espanha chegam a acordo sobre Almaraz

Almaraz

O Governo Espanhol e o Governo Português chegaram a um acordo relativamente à queixa de Portugal na Comissão Europeia sobre a construção de um armazenamento individualizado (ATI) de resíduos nucleares junto à Central Nuclear de Almaraz, localizada na Extremadura Espanhola, junto à fronteira com Portugal.

Na opinião da associação ambiental Quercus “este é um primeiro passo que vai ao encontro das revindicações dos milhares de cidadãos portugueses e espanhóis”, ficando assim claro que “Portugal foi indevidamente ultrapassado na questão da consulta pública sobre a construção de um armazenamento individualizado (ATI) de resíduos nucleares em Almaraz”.

O acordo alcançado entre os dois Governos vai permitir suspender temporariamente a construção do ATI e dar a Portugal maior capacidade de intervenção em todos os processos relacionados com Almaraz, o que para a associação de defesa ambiental é “positivo” e dá “razão a todos aqueles que têm vindo a considerar Almaraz uma questão verdadeiramente ibérica.”

No entanto nem tudo são boas notícias. Este acordo está a ser visto como uma medida de carácter essencialmente político e insuficiente pelos ambientalistas, que defendem que o acordo agora alcançado “ainda não responde às verdadeiras expectativas da sociedade portuguesa, na dando qualquer garantia que a Declaração de Impacte favorável à construção do ATI seja revogada e Portugal possa participar no processo de consulta pública.”

Em comunicado, a Quercus considera que o Governo Português não deve abrandar nos seus esforços junto de Espanha, tendo em vista a participação nacional em todo o processo e o encerramento da Central Nuclear de Almaraz em Junho de 2020, data desde a qual a Central tem licença de funcionamento.

Foto: Jornal do Fundão

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php