Ruas de Madrid enchem-se pela defesa do lobo ibérico

lobo ibérico

Foi no passado domingo que as ruas de Madrid se encheram com manifestantes a pedir medidas de protecção para o lobo-ibérico, para evitar o que consideram a “constante matança” destes animais. Segundo dados da WWF espanhola, organizadora do protesto, estiveram perto de 30 mil pessoas nas ruas da capital espanhola a lutar pelos direitos deste animal, tantas vezes colocado em risco.

Palavras de ordem como “Lobo vivo, lobo protegido” foram entoadas pelos manifestantes que desfilaram desde o Ministério da Agricultura e Ambiente, em Atocha, até à Puerta del Sol, bem no centro da cidade. Impedir os controlos populacionais, terminar com a caça e dar ao lobo ibérico o estatuto de espécie protegida foram as principais reivindicações.

“É importante continuar a favorecer a coexistência entre a criação de gado extensiva e o lobo, já que está demonstrado que abater lobos não consegue fazer diminuir os ataques ao gado”, defendem os responsáveis da WWF espanhola. “A sociedade moderna está farta de um modelo de gestão baseado na perseguição e na crueldade contra uma espécie”, acrescentam.

A população de lobos ibéricos em Espanha situa-se neste momento entre os 2.000 e 2.500 animais. Mesmo tendo sido considerada como espécie de interesse comunitário pela União Europeia, o lobo ibérico continua a ser alvo de frequentes ataques, com os caçadores a justificarem os seus actos como uma forma de diminuir os ataques ao gado.

Por cá, o lobo ibérico conta com o título de espécie protegida desde 1988 e tem desde 2005 o estatuto de espécie em perigo. A última contagem de lobo-ibérico em território nacional, com dados relativos a 2003-2014, dá conta da existência de 47 alcateias de lobo-ibérico.

Foto: Mal Prada / via Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php