microparticulas

Depois do Canadá, EUA e Reino Unido, agora é a vez da Nova Zelândia se juntar ao movimento que defende a proibição de utilização de micropartículas de plástico em produtos de higiene pessoal e cosméticos.

A entrada em vigor desta medida está agendada para 1 de Julho de 2018, com a proibição das micropartículas de plástico – minúsculas partículas de polietileno ou de polipropileno usadas em produtos do nosso dia-a-dia, como esfoliantes, gel de duche, pasta de dentes, batons e tantos, tantos outros- a estar mais perto de ser uma realidade.

Para se ter a verdadeira noção do impacto que a utilização continuada destes produtos provoca no meio ambiente, importa saber que perto de 100 mil micropartículas de plástico entram na rede de cada vez que tomamos banho com um destes produtos e beleza.

E se a quantidade de microplásticos a entrar no circuito já seria enorme motivo de preocupação, a situação piora quando está provado que estas partículas poluidoras de tamanho microscópio conseguem passar pelos filtros alojados nas estações de tratamento de águas residuais. Resultado? As micropartículas entram assim nos rios e oceanos, sendo confundidas frequentemente por comida, o que provoca sérios riscos na biodiversidade aquática.

A implementação da medida está agendada para meados do próximo ano, com as autoridades da Nova Zelândia a informarem que, em caso de incumprimento, haverá lugar a multas que podem ascender aos 65 mil euros.

Foto: via Creative Commons 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta