Dois raros leões brancos

O cineasta Max Moller dedicou ano e meio da sua vida a documentar os primeiros meses de vida de dois raros leões brancos. Os animais, que viveram no Parque de Vida Selvagem de Zoodoo, na Tasmânia, passavam o dia a brincar entre eles, com os tratadores e com o próprio Moller, uma ligação emocional forte e que agora pode ser vista nas imagens.

Moller, especializado em vida selvagem, captou os Zuri e Araali em alta definição até estes celebrarem os dois anos. “Há menos de 300 leões brancos no mundo, todos em cativeiro, por isso fiquei contente em captar estas imagens e conhecer melhor estes dois leões”, explicou Moller.

“Eles tornaram-se nas minhas crianças, reconheciam-me sempre que ia ao parque e desenvolvi um laço muito forte com ambos”, continuou.

Os tratadores de Zuri e Araali estiveram sempre presentes nas filmagens. “Os tratadores acabaram por os conhecer muito bem e criaram um laço com ambos”, explicou Donna Cuttriss, gestora do parque.

Entretanto, os dois leões mudaram-se para outro parque, mais a norte, e foi difícil aos tratadores e a Moller despedirem-se. “Ficámos muito tristes com a sua mudança. Eles estão bem, mas a despedida é sempre difícil, uma vez que ficámos muito ligados emocionalmente”, concluiu.

Deixar uma resposta